A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

12/10/2017 14:40

Crianças garantem que brincadeira sem tecnologia ainda é a preferida

Por outro lado, na hora de pedir presentes, a maioria cita itens como celular, tablet e videogame

Bruna Kaspary
Meninos brincando com brinquedos que ganharam no dia das crianças (Foto: André Bittar)Meninos brincando com brinquedos que ganharam no dia das crianças (Foto: André Bittar)

Em pleno dia das crianças, uma pergunta frequente nos dias de hoje é se ainda existe diversão sem a tecnologia. Como que as crianças preferem brincar? No celular, tablet e videogame ou nas ruas, com carrinhos, bolas e bonecas?

 

João Guilherme ganhou uma bola de presente (André Bittar)João Guilherme ganhou uma bola de presente (André Bittar)

Com bolas e carrinhos nas mãos, os amigos João Guilherme e João Pedro, de 5 e 8 anos, dizem preferir a brincadeira no chão do condomínio onde eles moram. "A gente faz estradinha para brincar ali nas pedras, fazemos nossas casas. Montamos uma cidade", explica o mais velho.

Os dois se empolgam na brincadeira e lembram que, quando o mais novo não pode estar junto, nas pedras, eles ficam na calçada mesmo com os carrinhos. "A gente brinca bastante de carrinho aqui".

Mas, mesmo dizendo que a diversão sem tecnologia é a prefeitura, eles admite que pediram para os pais nesse dia das crianças itens ligados à tecnologia. "Ah, eu pedi um celular, um videogame, e um carrinho", explica João Pedro. Logo outros amigos já se juntam completando os pedidos. "Eu também pedi um videogame", lembra Pietro, de 7 anos.

 

João Pedro, com seu carrinho, e Pietro, com sua bola, que ganharam de presente (Foto: André Bittar)João Pedro, com seu carrinho, e Pietro, com sua bola, que ganharam de presente (Foto: André Bittar)

Quando se imagina que o presente pedido é mais tradicional, como o do pequeno João Guilherme, Pietro surpreende com mais um item eletrônico. "Eu pedi também um carrinho, de controle remoto", tira sarro e começa a rir.

Dentre os amigos, apenas Eduardo, também de 7 anos, confessou que gosta mais de brincar no celular dos pais do que com os brinquedos. "É divertido, dá para jogar, assistir vídeo, mexer no Whatsapp".

Apesar das brincadeiras nos eletrônicos estarem tomando conta do cotidiano dos pimpolhos, eles ainda assim não abrem mão de se divertir um pouquinho com os amigos. Para estrearem a bola recém ganhada, os quatro, com um grupo de amigos mais velhos, foram brincar em uma área gramada do residencial.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions