A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018

21/06/2010 12:01

Decon indicia 6 pessoas envolvidas no caso Paulistec

Redação

A Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo) indiciou seis pessoas envolvidas na venda de diplomas da escola Paulistec, por estelionato e formação de quadrilha. De acordo com a delegacia, além do proprietário, Mauro Di Napoli, serão indiciados funcionários e os proprietários das escolas que emitiam os diplomas. São quatro escolas: uma em Santa Catarina e três no Rio de Janeiro.

Di Napoli teve os bens bloqueados, totalizando quase R$ 1,8 milhão de reais. Ele também foi proibido de vender seus nove carros, avaliados em meio milhão de reais. De acordo com o site G1, entre os veículos há três modelos de luxo.

O proprietário da CejaBrasil, de Santa Catarina, Andriano Bazzo, foi ouvido na semana passada e disse que não sabia das irregularidades administrativas ocorridas na sede da Paulistec.

Ele disse em depoimento que acreditava que os alunos tivessem aulas, mesmo que a legislação diga que as provas devem ser feitas na escola que emite os diplomas ou que um representante desta escola esteja presente. Na escola também foram encontrados exames com as respostas preenchidas, restando ao aluno apenas assinar.

O caso - A Paulistec é acusada de vender diplomas de ensino Fundamental e Médio ao custo de R$ 450,00 e R$ 780,00. Segundo a Polícia Civil, 209 procuraram o Procon pedindo ressarcimento e 176 processos foram abertos.

Ao todo 1.259 pessoas obtiveram diplomas por meio da Paulistec em Campo Grande. O Procon irá realizar audiências a partir de 26 de junho até 31 de julho, sempre aos sábados, para atender as pessoas que adquiriram o diploma sem validade.

Em agosto do ano passado, em Goiânia, quatro escolas da empresa já tinham sido fechadas por suspeita de emissão irregular de diplomas.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions