A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

28/01/2009 14:14

Dono de área arrendada para usina não recebe há 9 meses

Redação

João Francisco Canhada Amadeu, proprietário da fazenda Santa Rita, no distrito de Quebra Coco, em Sidrolândia, diz que há nove meses não recebe pelo arrendamento das terras à usina Agrisul Companhia Brasileira de Açúcar e Álcool (antiga usina Santa Olinda), pertencente ao grupo José Pessoa.

A área, de 800 hectares, é arrendada para plantio de cana-de-açúcar há oito anos, segundo Canhada. "Eles atrasavam três meses e pagavam um. Agora, nem promessa", diz.

O contrato, firmado até 2011, prevê pagamento de R$ 16 mil mensais. "Não tem nem como ir à Justiça, porque vou ter que entrar no fim da fila", diz, referindo-se às dívidas do Grupo.

A Polícia Civil de Sidrolândia recebeu denúncia de apropriação indébita, feira pela prefeitura da cidade. De acordo com a prefeitura, a usina vinha se apropriando de ISS pago pelos prestadores de serviços, uma dívida que soma R$ 681,5 mil.

A lista de denúncias contra a usina só aumenta. Além das dívidas com o dono da área arrendada, prefeitura e com trabalhadores, há também ação popular por danos causados ao meio ambiente.

O grupo José Pessoa tem unidades em Sidrolândia, Brasilândia (MS), Icem (SP), Campos (RJ), Japoatã (SE), Rio Preto (SP) (sede) e em São Paulo (SP).

Em Brasilândia, a Agrisul Agrícola, antiga Debrasa já foi autuada e interditada por manter seus funcionários, 800 índios, em condições insalubres. Além da situação precária, até falta de água os funcionários relataram aos fiscais da DRT (Delegacia Regional do Trabalho). Em julho do ano passado a unidade entrou para a lista suja do Ministério do Trabalho, que relaciona empresas autuadas por exploração de mão-de-obra.

O Ministério Publico do Trabalho ajuizou uma ação civil pública contra a usina de Brasilândia pedindo R$ 10 milhões em indenização por danos morais ao coletivo.

Cinco empresas do Grupo Pessoa, dentre elas a Agrisul Agrícola, foram banidas do Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo, a chamada "lista limpa". (Colaborou o repórter Marcos Leite, de Sidrolândia)

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions