A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Maio de 2017

21/08/2014 11:58

Justiça antecipa graduação de universitária aprovada em concurso público

Liana Feitosa

Uma aluna da Anhanguera Uniderp, em Campo Grande, moveu uma ação na Justiça para obter o adiantamento da colação de grau e a decisão foi favorável, neste mês. Apesar de ter concluído apenas metade do curso, o concurso público no qual foi aprovada exigia a conclusão da graduação em nível superior.

Em dezembro do ano passado a universitária solicitou administrativamente a antecipação do final do curso, mas universidade negou o pedido. Por isso, a estudante acionou advogados, que entraram com ação na Justiça Federal de Campo Grande.

O juiz do caso determinou que a Anhanguera formasse uma banca para avaliação da acadêmica em um prazo de 48 horas e, caso fosse aprovada, providenciasse a emissão do diploma para posse no cargo.

Submetida à banca, a estudante foi aprovada e, no mesmo dia, a universidade emitiu o diploma de conclusão de curso. De acordo com os advogados que cuidaram do caso, esse tipo de demanda é comum e, frequentemente, é decida de forma favorável aos estudantes.

A Anhanguera Uniderp foi procurada e informou que segue a legislação educacional e, neste caso, cumpriu a decisão judicial.

 

Em oito dias, ladrões roubam segundo veículo perto de universidade
Um motorista de 33 anos foi vítima de um trio de ladrões na noite de ontem (12) enquanto estacionava o carro em um estacionamento localizada em frent...
Começa amanhã processo seletivo de prefeitura com salários de até R$ 2.5 mil
A Prefeitura de Ladário, distante 419 quilômetros de Campo Grande, abre amanhã (22) as inscrições para dois processos seletivos que juntos somam nove...
IBGE encerra terça inscrições de concurso com vagas para MS
O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) encerra na próxima terça-feira (23) concurso para contratação de profissionais temporários p...



Tudo muito rápido, ao contrário da velocidade da nossa justiça.
Se foi tudo com base no direito do cidadão, deveria ser divulgado o nome da candidata, afinal, é um exemplo de cidadania. Poderia ser citado também que a mesma não tem qualquer vínculo de parentesco com as autoridades que concederam o benefício. A reportagem deveria citar o amparo do benefício, pois é de interesse de toda a população acadêmica ter conhecimento do assunto. Não entendi bem o assunto, pois todo o concurso diz que para assumir o cargo o candidato precisa "ter concluído" o referido curso. No caso em questão a aluna não "concluiu" o curso, apenas foi antecipada a colação de grau. No caso de surgir algum fato que a impeça de concluir o curso (o amanhã, que a Deus pertence) a nomeação continuará válida???
 
JOSE RODRIGUES em 31/08/2014 18:37:28
Bom dia pessoal, não houve benefício nenhum, houve sim a luta por um direito bastante desconhecido por nós e que batalhei bastante para usufruir, falo porque fui eu a aluna em questão.
 
Marilia Nascimento em 23/08/2014 12:55:09
Eu estou no segundo semestre de administração, gostaria de concluir meu curso no final do ano, como faço? Se eu passar em algum concurso consigo?
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 22/08/2014 10:41:46
Como sugestão, a redação deveria publicar os fundamentos da decisão que beneficiou a estudante, haja vista o interesse público envolvido. Isso porque, pelo senso comum, o aluno teria de concluir o curso antes de se inscrever, sob pena de ser desnecessária e banalizada a obrigação de frequentar uma escola ou universidade, uma vez que não há outra forma oficial de se apurar a capacidade subjetiva das pessoas,o que certamente descambaria para o nepotismo e o favorecimento pessoal.
 
Plínio Rubert Gardin em 22/08/2014 08:58:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions