ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUARTA  08    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Entidade comemora nesta semana a 100ª cirurgia labiopalatal no São Julião

Convênio entre Funcraf e Smile Train ajudou a atender crianças com o defeito congênito desde as restrições no Centrinho de Bauru

Por Humberto Marques | 09/12/2018 09:10
Má-formação cria fenda no lábio e palato, que depende de cirurgia para ser corrigida. (Foto: Secom-PB/Reprodução)
Má-formação cria fenda no lábio e palato, que depende de cirurgia para ser corrigida. (Foto: Secom-PB/Reprodução)

Uma solenidade às 18h de quinta-feira (13) fará a comemoração simbólica da centésima cirurgia de correção de fissura labiopalatal no Hospital São Julião, em Campo Grande, realizada por meio de parceria entre a Funcraf (Fundação para o Estudo e Tratamento das Deformidades Crânio-Faciais) e a ONG (organização não-governamental) Smile Train, voltada para o suporte e tratamento do problema. O procedimento será realizado na sexta-feira (14) envolvendo uma criança do interior de Mato Grosso do Sul.

Existente em Campo Grande desde 2000, a Funcraf prestava atendimentos junto ao Centrinho, unidade da USP (Universidade de São Paulo) em Bauru que, em 2017, reduziu drasticamente o número de atendimentos. Como alternativa para a demanda de famílias do Estado que eram enviados ao interior paulista, a fundação articulou com a Smile Train o envio de cirurgiões especialistas ao Estado, para atuarem na correção do problema em crianças, tendo o São Julião como parceiro.

A fissura lábio-palatina é um defeito congênito considerado comum, que ocorre quando estruturas da boca não se fundem durante a formação fetal, ocorrendo no lábio ou no céu da boca (pálato).

O encaminhamento feito pela Funcraf abrange crianças de famílias carentes e, segundo a instituição, a cirurgia da fissura labial pode ocorrer a partir do terceiro mês de vida da criança (no pálato, a partir do primeiro ano). O paciente precisa estar em boas condições de saúde. Com os procedimentos, evitam-se problemas que vão desde questões psicológicas à funcionalidade do aparelho digestivo –com o problema, a criança enfrenta várias restrições alimentares e dificuldades para comer, além de desenvolver problemas de fala.

Os procedimentos são bancados pelo SUS e com suporte da Smile Train, que cede médicos, enquanto a Funcraf realiza os encaminhamentos de atendimentos e acompanhamentos, inclusive da gestante, quando o problema é identificado antes do nascimento. No caso de pacientes do interior, o apoio das prefeituras também é importante durante o tratamento.

Para manter seus serviços, a fundação recebe doações financeiras, leite, fraldas e outros itens de apoio às crianças. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (67) 3368-6200, (67) 3368-6213 e (67) 3368-6213. A Funcraf funciona na Rua 14 de Julho, 4.827 (esquina com a Avenida Mascarenhas de Moraes), no São Francisco.