A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 18 de Agosto de 2018

22/10/2011 18:25

Estudantes acharam Enem fácil, mas reclamam das questões de química

Wendell Reis e Paula Vitorino
Estudantes terminaram prova às 16h30. (Foto: Pedro Peralta)Estudantes terminaram prova às 16h30. (Foto: Pedro Peralta)

A maioria dos alunos entrevistados pelo Campo Grande News na tarde deste sábado (22) na Universidade Anhanguera/Uniderp, onde 2.048 pessoas fizeram a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), acharam a prova fácil. Entretanto, quase todos revelam dificuldades nas questões de química e demonstram preocupação com o segundo dia de prova, principalmente com a redação.

A prova foi considerada fácil por todos os alunos que estudaram. Porém, até quem não se dedicou muito saiu do local da prova com a sensação de que não foi tão mal assim. Jenifer Leite da Silva, 18 anos, achou que a prova foi mais tranquila do que esperava. A opinião é compartilhada pela irmã, Steffany Leite da Silva, 20 anos, que achou a prova mais fácil do que a do ano passado.

Jenifer se preparou para a prova e mesmo assim encontrou dificuldades em questões de química e física, principalmente na parte teórica. Porém, ainda espera mais dificuldades na segunda parte, a ser realizada neste domingo (23). “Amanhã que é mais difícil. O bicho pega”. As irmãs chegaram ao local da prova quando faltavam cinco minutos para o fechamento do portão e não querem repetir o erro amanhã. Elas lembram que o trânsito estava bem tumultuado, mesmo antes de chegar próximo a universidade.

As irmãs Tássia Correa, 23 anos, e Kerolin Correa, 17 anos, também acharam a prova fácil. Tássia faz a prova pela terceira vez e considera que a deste ano está bem mais tranquila do que as provas passadas. “De todas que fiz, esta foi a mais fácil”. Tássia quer cursar letras e kerolin, arquitetura, ambas na federal. Elas concordam que as questões de química estavam bem difíceis e também demonstram preocupação com o segundo dia de prova, principalmente por causa da redação.

Os amigos Patrick Yuri, 18 anos, e Luiz Fellipe Diniz, 18 anos, revelam que a prova trouxe bastante questões de meio ambiente. Eles acharam a prova fácil e esperam mais dificuldade com a redação, embora tenham um tempo maior no segundo dia, com cinco horas e trinta minutos.

Ao comentar a prova, Patrick lembra de uma coisa que atrapalha bastante: A comilança. Ele revela que algumas pessoas ficam comendo a toda hora, o que acaba atrapalhando. Já Luiz Felipe achou que as perguntas finais eram muito extensas, com bastante informação, o que acabava atrapalhando, tendo em vista que o cansaço é maior no final da prova.

O grupo de amigos, Ricardo Rogério, Natália Almeida e Yndiani Passo, ambos com 17 anos, também acharam a prova fácil, com maior dificuldade nas questões de química. O trio conta que estudou bastante, pois pretendem passar na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. O grupo achou que a prova apresentou muitas questões que tinham estudado e acredita que o segundo dia vai ser mais cansativo. Ao final da maratona, a maioria dos alunos comparavam as provas.



ESCOLAS POLOS PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS TIVERAM PROBLEMAS COM A PROVA, O APLICADOR LEITOR PARA QUEM É CEGO OU BAIXA VISAO A PROVA ESTAVA DIFERENTE!! FAZENDO COM QUE DIFICULTASSE O ENTENDIMENTO DAS QUESTÕES!! FAÇAM UMA VISITA NA ESCOLA MUNICIPAL NAGIB RASLAN E CONFIRMEM!!
 
CARLOS DAMASCENO em 23/10/2011 01:35:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions