A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

12/05/2011 11:55

Ex-agentes são detidos depois de coletiva que virou bate-boca com juiza

Angela Kempfer e Aline dos Santos
Ex-agente diz que juíza é enganada, durante audiência na Justiça Federal. (Foto João Garrigó)Ex-agente diz que juíza "é enganada", durante audiência na Justiça Federal. (Foto João Garrigó)

Dois agentes penitenciários federais demitidos na sexta-feira passada foram detidos na manhã de hoje depois de entrevista coletiva que virou uma “guerra” na sede da Justiça Federal, no Parque dos Poderes.

Yuri Matos, ex-presidente do Sindicato dos Agentes Federais em Mato Grosso do Sul e o também exonerado Valdemir Albuquerque protagonizaram ao lado da corregedora do TRF (Tribunal Regional Federal), Suzana Camargo, bate-boca com acusações e defesas ao juiz federal Odilon de Oliveira.

O magistrado foi o ponto central da coletiva à imprensa convocada para está quinta-feira, depois de denúncias de que Odilon teria favorecido o traficante Juan Carlos Abadia, para extradição aos Estados Unidos e também seria o responsável por escutas clandestinas no Presídio Federal de Campo Grande.

No entanto, além dos jornalistas, os 4 ex-servidores federais demitidos pelo Ministério da Justiça também compareceram à reunião e não controlaram a indignação diante de elogios rasgados a Odilon.

Ao saírem da sede da Justiça Federal, os dois foram interceptados por policiais federais e levados até a Superintendência da PF.

Horas antes, a corregedora começou a conversa com os jornalistas classificando as denúncias contra Odilon de “levianas e vazias”.

“Esse magistrado é daqueles, não só com vocação, mas que fazem da magistratura a sua vida”, comentou a corregedora e também juíza.

Ex-servidor protesta por segredo de justiça imposto ao caso das escutas clandestinas.Ex-servidor protesta por segredo de justiça imposto ao caso das escutas clandestinas.

Segundo ela, “além de receber ameaças contra ele e familiares, também está em curso uma tentativa de questionar a conduta, a moral, como acontece na Itália e na Espanha”, citou a corregedora sobre suposto esquema criminoso para abalar a credibilidade de Odilon.

Ao ouvir os elogios, um dos agentes na platéia deu inicio ao primeiro bate-boca da manhã. “Vossa excelência está sendo enganada”, gritou. A reposta foi um “cala-se, porque ninguém pode atacar um juiz dessa forma leviana”.

Passado o primeiro momento de tensão, Suzana começou a detalhar acusação feitas pelos agentes que trabalhavam no Presídio Federal quando Odilon era corregedor, de que o traficante Juan Carlos Abadia pagaria para que o juiz o ajudasse no processo de extradição aos EUA.

Na sequencia, Suzana fez a defesa: “Isso é ilógico, até risível, porque o processo é competência do STF. Só se o juiz tivesse poder sobrenatural, porque a competência é do STF”.

Na avaliação dela, a “denúncia não resiste até a própria fonte”, o assaltante do Banco Central Reinaldo Giroti, preso também em Campo Grande até 2009 e que, na versão dos agentes, contou que Abadia disse ter pago a Odilon para beneficiá-lo.

“Ele foi ouvido duas vezes e negou”.

“Ele é seu amigo” gritou Ivanilton Morais Mota. De pronto a juíza admitiu “sou amiga” e afirmou”, mas sobretudo corregedora”.

A corregedora partiu para o ataque e lembrou que os agentes foram demitidos por retirarem cópias de gravações da unidade penal e também são acusados de doparem Giroti para obrigá-lo a assinar documento contra Odilon.

De pronto os agentes questionaram “como é possível tirar um preso da cela, se há 300 câmeras no presídio”.

Apesar da gravidade do caso, a corregedora disse que “ainda não há conclusão sobre esse fato. Essa declaração está sendo investigada”

Odilon escuta acusações de ex-agentes, ao fundo.Odilon escuta acusações de ex-agentes, ao fundo.

O alvo - Sentado na primeira fila, o juiz, figura central da discussão, permaneceu o tempo todo calado. Apenas concordava com a cabeça com a argumentação da juíza e soltava sorrisos irônicos diante das agressões dos ex-agentes.

Quando o clima começou a esquentar novamente, os policiais a paisana que protegem Odilon - o único juiz com esse tipo de escolta no Brasil, cercaram o magistrado temendo a aproximação dos ex-servidores, principalmente de Ivanilton Morais Mota, o mais exaltado dos 4 presentes.

Ivanilton se aproximou da corregedora e pediu uma acareação entre Odilon e os ex-agentes. “Tire todos daqui e só deixe nós e o juiz”, defendeu. A resposta foi o sorriso irônico do magistrado e uma negativa da corregedora.

A corregedora chegou a transferir audiência para outra sala, mas depois a coletiva foi encerrada.

Mega-Sena sorteia bolada acumulada em R$ 20 milhões nesta quarta-feira
A Mega-Sena vai sortear na noite desta quarta-feira (24), após quatro sorteios sem vencedor do prêmio principal, a bolada acumulada em R$ 20 milhões....
UEMS abre período de rematrículas; prazo vai até o dia 3 de fevereiro
Já foi aberto pela UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) o período para rematrículas dos acadêmicos da para o ano letivo de 2018. O praz...
Encomendas enviadas pelos Correios poderão ser rastreadas pelo CPF
A partir de quinta-feira (25) usuários de serviços postais dos Correios poderão acompanhar suas encomendas informando apenas os números do CPF ou do ...


Esse tal de Marco Antonio é um puxa saco!

Imagine o estuprador colocado frente a frente com o pai da vítima.

O natural é que não fique calado.

Você tem que entender (na verdade vc entende, mas fala em causa própria) que o problema dos agentes é com a própria "justiça", logo, como recorrer a ela?
 
Luiz Eduardo A. Ramos em 14/05/2011 01:48:44
Gilberto, correto! Todos somos passíveis de erros, incluvise o juiz. Mas o certo seria fazer a defesa no processo, até a última instância, não fazer essa bagunça, que só serviu para comprovar o desquilibrio de alguns. Imagina se todos que se acharem prejudicados, estando certos ou não, resolverem fazer arruaças com a justiça. Para isso existem os tribunais.
 
marco antonio em 13/05/2011 10:21:54
Esses ex-agente dever ter boa indole mesmo rsrsrsr...tanto é que forão demitidos,como ele acusão uma pessoa como o juiz Odilon que é uma das pessoas que mais luta contra o crime organizado no Brasil.Sem noção essas acusações.
 
Alex silva em 12/05/2011 12:26:10
Não vou entrar no mérito dessa guerra travada entre Odilon e os agentes penitenciários. O que eu sei é que geralmente sobre os membros do Poder Judiciário (leia-se: juízes e juízas) paira uma névoa muito densa de impunidade. Também não concordo em colocar o juiz Odilon neste pedestal de "quase santidade" que a imprensa o coloca. Ele também é um ser humano e, portanto, passível de erros. Sejamos sensatos.
 
Gilberto Ramos em 12/05/2011 04:35:22
e isso ai bandido temque ficar na cadeia e esse juiz e o unico que preende bandidos nao tem medo, se todos fosse igual a ele nao teriamos bandidos no brasil principalmente no ms,
 
edison souza dos santos em 12/05/2011 03:24:15
Carlos Silva Oliveira, as câmeras não filmaram o suicídio pq ela não filmam dentro das celas.
 
Marco Antonio em 12/05/2011 03:00:12
Bem levantado. Como o juiz iria fazer essa proposta de receber dinheiro do Abadia, para facilitar a extradição dele, se é competência do STF?! Ou seja, falar que o juiz fez isso, é chamar o mesmo de "burro do direito", bem como seu advogado.
Aliás, como irá fazer uma acareação com umas pessoas alteradas desse jeito?! E mais, o juiz e os ex-agentes foram ouvidos no processo, provavelmente a defesa dos ex-agentes tiveram a oportunidade de realizar perguntar, que foram respondidas ou não! Simples, estão nos autos. É só o advogado dos ex-agentes colocar em seu site. Mas que coloque os dois lados da moeda, não só o que lhe é favorável, o que sempre acontece por la.
 
Marco Antonio em 12/05/2011 02:57:00
Olha gente tenha cuidado, ao defamar o Inlustrissimo MMº Juiz Dr. ODILON, este homem ao meu ver, pelo que foi relatado na imprensa, foi um pioneiro e corajoso que não vi nem um outro em nosso Estado de combater e mandar prender os Barrões do Tráfico. Pensa bém, o doutor nem tem privacidade, se vai caminhar tem que ter escolta, até morou em quartel pela segurança, será que esta proteção e com medo de gente de bém ou de bandidos? É claro que e de bandidos, por isto acho que quem não gosta de Polícia e de Juiz que manda bandidos para a cadeia (só pode ser bandido e fora da Lei).
 
jose eudes em 12/05/2011 02:53:04
Eu ja acho o seguinte, se os ex agente tem razão junte as provas e vá no stf e coloca a disposição do supremo.
 
jose junior em 12/05/2011 02:45:58
Não quero defender Juiz nem ex-agente, porém acredito que tem fogo atrás dessa fumaça.
Ninguém em perfeitas faculdades mentais faria denúncias dessa gravidade, em público, se não tivesse um fundo de verdade.
Não é por se tratar de magistrado "acima de qualquer suspeita" que as denúncias feitas pelos ex-agentes devam deixar de serem apuradas.
O Brasil é um país livre e todos os cidadãos tem a liberdade de dizer tudo aquilo que pensa e responder DEPOIS se estiver errado.
Houve corporativismo por parte da corregedora. A prisão dos ex-agentes foi um abuso.
Penso muitos segredos se escondem por trás daquelas muralhas. Porque não da acareação? Por que as câmeras (mais de 300) não registraram os ex-agentes retirando documentos? Como as tais câmeras não registraram o suicídio de um preso que foi encontrado enforcado na cela poucos dias atrás?
 
carlos silva oliveira em 12/05/2011 02:29:07
Acho que essa história está muito complexa para ser uma invenção.
Veja bem: porque os agentes demitidos culpariam autoridades de alto escalão se tivessem culpa no cartório? A lógica nos diz que, se assim fosse, eles iriam simplesmente se defender como desse e acusar um ao outro, ou eventuais subalternos.
Mas não, a ira dos agentes se direcionou a uma das maiores autoridades judiciárias do país, o que soa um tanto estranho. Tais denúncias não são vazias, mas sim repletas de elementos no mínimo consideráveis, que merecem sim uma investigação aprofundada para se averiguar a sua veracidade.
É claro que é sempre mais fácil culpar os subalternos, inferiores hierárquicos, jogar toda a culpa em cima deles e lavar as mãos, contando sempre com a ajuda e o apoio de "amigos de toga". Seja como for, assim como não é certo condenar alguém sem provas, também não o é absolver, logo, dizer coisas como "ah, ele é uma das pessoas que mais combatem o crime organizado" ou "a reputação dele mostra que ele é isso ou aquilo" não tem sentido...

Vale lembrar: autoridades não são deuses, e, como todo ser humano, são passíveis de erros e acertos, sujeito a cometer crimes, participar, instigar ou coadunar com eles, sem gerar suspeitas, usando o cargo como pressuposto de idoneidade....

Lembrem-se: autoridades # deuses
 
Rubén Aguirre em 12/05/2011 02:23:30
Porque, não foram feitas a acareação? será que é medo da verdade numa entrevista coletiva? parabéns aos servidores pela coragem de afrontar e de dizer que realmente ocorreu neste episódio. Vamos aguardadar o stj, que com certeza dará ouvidos a vcs.
 
Felipe Salinas em 12/05/2011 01:53:20
Acredito na inocência do Juiz Odilon de Oliveira. Os servidores afastados caíram em uma cilada montada por uma pessoa que sempre aparece na mídia (algumas vezes só o sapato aparece). Esse sujeito é que arquitetou tudo... não se enganem!.
 
Jôni Coutinho em 12/05/2011 01:47:06
A maior cobra do mundo é brasileira: a sucuri!
Essa coisa de manter a imagem é um tanto quanto duvidosa.
 
Maria Izabel de Almenida em 12/05/2011 01:18:52
Se todos os servidores agissem desta forma, o serviço publico seria outro! Independente se o Juiz tem histórico de combate ao crime ou não, nada justifica tal atitude arbitraria das escutas! Não podemos justificar um erro, cometendo outro! Parabéns servidores, parabéns por denunciar quem se acha o todo poderoso!
 
Thiago Fernandes em 12/05/2011 01:14:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions