A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 18 de Agosto de 2018

08/11/2010 17:26

Falhas em Enem geram protesto em Mato Grosso do Sul

Redação

Uma sequência de falhas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), realizado neste fim de semana, fez com que a Justiça Federal do Ceará determinasse a suspensão imediata (em caráter liminar) das provas. Estudantes de Mato Grosso do Sul também protestam contra o exame e acusam o MEC (Ministério da Educação) de órgão incompetente.

A avaliação aplicada a 3,3 milhões de candidatos foi marcada por erros nas provas que podem prejudicar a nota dos estudantes. Vinte e um mil cadernos de prova amarelos apresentaram erro de montagem e não continham todas as 90 questões aplicadas no sábado (6).

Outro problema ocorreu na folha em que os estudantes marcam as respostas das questões, que estava com o cabeçalho das duas provas trocado. O exame teve 90 questões, sendo a primeira metade de ciências humanas e o restante de ciências da natureza. Mas, na folha de marcação, as questões de 1 a 45 eram identificadas como de ciências da natureza e as de 46 a 90, como de ciências humanas.

Para a juíza Karla de Almeida Miranda Maia, da 7ª Vara Federal, a solução apresentada não resolve o problema, já que deixará "em desigualdade todos os candidatos remanescentes". O MEC prometeu disponibilizar na página do Enem na internet, a partir de quarta-feira, um módulo de requerimento para que o candidato que tenha marcado o gabarito seguindo a indicação dos cabeçalhos possa pedir a correção invertida.

A quantidade de candidatos prejudicados pelo problema ainda não foi divulgada, mas, mesmo o MEC estudando aplicar novas provas para esses estudantes, as reclamações são intensas. Até mesmo leitores do Campo Grande News que moram em São Paulo, como Mara Montezuma Assaf, criticaram o exame.

"O MEC merece um atestado de incompetência pelas trapalhadas, o Enem vai acabar perdendo a credibilidade por causa dessa gestão. Agora querem nos fazer crer que, num universo de três milhões e meio de estudantes, menos de 20 mil foram prejudicados e que somente 2 milhões terão que fazer as provas", frisa Mara, indignada.

O professor de matemática Chuck Miyahira, que coordena o cursinho pré-vestibular Nova Escola, em Campo Grande, o erro cometido pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), órgão responsável pela aplicação do Enem, foi grave e certamente prejudicou muitos alunos.

"

Gabaritos do Enceja já estão disponíveis no site do Inep
O Ministério da Educação (MEC) divulgou no final da tarde de hoje (17) gabarito oficial do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens...
Capes torna mais rígida avaliação de cursos de pós-graduação
A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) tornou mais rígida a avaliação dos cursos de pós-graduação no país. De acordo c...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions