A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

09/10/2015 12:41

Governo apresentou a Rede Solidária que vai começar na Cidade de Deus

Leonardo Rocha
Reinaldo Azambuja e Rose Modesto apresentaram as metas do programa social (Foto: Leonardo Rocha)Reinaldo Azambuja e Rose Modesto apresentaram as metas do programa social (Foto: Leonardo Rocha)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB), junto com a vice-governadora Rose Modesto (PSDB), apresentaram as metas e módulos do programa Rede Solidária, que pretende melhorar os índices sociais de Mato Grosso do Sul, com ações que vão dar independência às famílias em situação vulnerável. O lançamento do projeto será no dia 13 de novembro, na favela Cidade de Deus, com a presença do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

No evento desta sexta-feira (09), o governador apenas assinou os termos de cooperação para cumprir 17 objetivos da ONU (Organização das Nações Unidas), que serão implementadas neste programa social. Rose Modesto, que também é titular da Sedhast (Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho), apresentou as ações do projeto.

Ela explicou que o foco inicial serão as famílias do Vale Renda, tendo como objetivo dar novas oportunidades para que elas possam se emancipar e não depender apenas do Estado. Apesar de haver 60 mil contemplados, este programa nunca foi reformulado, e os índices pioraram. “Vamos capacitar, cuidar da família, dar emprego e fazer a pessoa ser independente, ter melhores condições de vida”.

A primeira unidade do Rede Solidária vai ser a favela Cidade de Deus, no bairro Dom Antônio, região sul de Campo Grande. No local existem 14.419 moradores, sendo 5.720 de pessoas até 18 anos, tendo um analfabetismo de 9,55% e uma renda per capita de R$ 332,65. “É a região de maior vulnerabilidade de Campo Grande, por isso foi escolhida, queremos melhoria em todos os setores”, disse Modesto.

O programa terá uma estrutura física no bairro, com previsão inicial de atender 850 famílias por semana, tendo o apoio de entidades da iniciativa privada, terceiro setor e todas as secretarias do Governo. A unidade que conta com investimento de R$ 500 mil do executivo estadual, vai se chamar “Ruth Cardoso”, em homenagem a ex-primeira dama, responsável por diversos programas sociais no país.

Módulos – A vice-governadora relatou que o programa vai ser dividido em vários módulos de atuação, para que a família contemplada possa ter acesso a diversos serviços. O primeiro é sobre educação, cultura e esporte, com ações, aulas e atividades que possam inserir os jovens e adultos.

O segundo será da Escola da Família, que vai proporcionar acompanhamento escolar aos estudantes, oportunidades de emprego e capacitação profissional, por meio de parceiros, como Fiems, Sebrae e Fecomércio, além de ter um grupo psicossocial disponível para atender as famílias.

O terceiro (módulo) terá ações de saúde e prevenção, para que haja diagnósticos e acompanhamento dos moradores, principalmente em casos de hipertensão e diabetes. O quarto será de segurança, com a atuação de uma Polícia Comunitária no bairro, com viaturas e equipe de seis a oito policiais. Também estão previstas uma Horta Orgânica e uma Rede de Voluntários.

“Queremos levar o projeto para ao menos três regiões do Estado até 2018, sabemos que Campo Grande necessita destas ações nas sete regiões, mas escolhemos a Cidade de Deus, pelos índices alarmantes do local”.

Programa – O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ressaltou que apesar dos programas sociais do Governo, os dados estavam piores, por isso deveria ser feito algo diferente. “Vamos resgatar estas famílias, promover inserção social, com apoio da iniciativa privada, depois ainda iremos ampliar para o interior do Estado”.

Reinaldo ponderou que a educação é a base de tudo, e que esta rede vai ter atividades específicas no setor, além de ter o envolvimento de todas as secretarias. “Estas famílias deixarão de ser dependentes, para crescer, abrir o próprio negócio, será que os programas de transferência de renda devem ser eternos? Devem sim ser paliativos, e nós vamos dar as oportunidades para estas famílias”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions