ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
DEZEMBRO, QUARTA  06    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

Governo diz que Abadia age para antecipar extradição

Redação | 06/08/2008 09:24

A Polícia Federal suspeita que o traficante Juan Carlos Abadía se uniu a Fernandinho Beira-Mar para acelerar sua extradição aos Estados Unidos, segundo informou o secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior ao jornal Estado de São Paulo.

Nesta semana a Polícia Federal divulgou que os dois estariam tramando planos contra autoridades.

Segundo Tuma, o traficante diz que é esfolado financeiramente no País e as condições das cadeias são deploráveis. "Mas o efeito pode ser contrário", alerta. "Ele acaba cometendo outros crimes no Brasil e assim retarda mais ainda o processo."

O governo já tomou a decisão de extraditar o traficante o mais rápido possível, talvez ainda neste ano, mas a medida depende de os EUA aceitar restrições definidas pelo Supremo Tribunal Federal, como não condená-lo a mais de 30 anos.

Os EUA já concordaram em não aplicar uma sentença de morte, mas estudam fórmulas para evitar uma punição branda, como a sugerida pelo Brasil. Acusado de mais de 30 assassinatos na América do Norte, alguns em Estados com pena capital, se não fosse a intervenção do STF, com certeza Abadía seria condenado à execução.

Outro entrave é que Abadía já foi condenado no Brasil a 30 anos de prisão por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Dessa forma, a Justiça pode exigir que ele cumpra total ou parcialmente a pena no País. "

Nos siga no Google Notícias