A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

30/06/2008 11:16

Governo diz que Betão não recebeu quando estava afastado

Redação

A assessoria de imprensa do Governo do Estado informou hoje que o funcionário público Alberto Aparecido Roberto Nogueira, o Betão, não recebeu salário enquanto estava afastado da Secretaria da Fazenda, desde 29 de abril de 2005. O governador Andé Puccinelli confirmou a informação e disse que os dias de Betão como funcionário do governo estão contados. "Ele está no tramite de expulsão", afirmou.

No último sábado, reportagem do Campo Grande News revelou que ele continuava como servidor estadual do Fisco, apesar da atividade criminosa da qual é acusado e de estar foragido desde 2005, por um assassinato em São Paulo. Conforme publicação feita no dia 30 de maio, até o dia 29 de abril cumpriu expediente como técnico fazendário.

Nessa data, a Secretaria de Fazenda publicou expediente no Diário Oficial do Estado convocando o servidor para comparecer ao trabalho, sob pena de sofrer processo administrativo por abandono de emprego.

Betão que é réu em cinco processos, pediu licença por Tip (Tratamento de Interesse Particular) no dia 29 de abril de 2005 e desde então teve a remuneração pelo Estado suspensa, afirmou categoricamente o governador.

A licença que tinha prazo de três anos venceu em abril de 2008. De acordo com a assessoria, Betão foi notificado para retornar às atividades, porém o servidor apresentou um atestado médico para mais 60 dias de ausência.

O atestado médico foi negado pela Secretaria que afirma ter notificado o funcionário, por duas vezes, para comparecer ao trabalho, no dia 30 de maio e no dia 2 de junho deste ano.

No dia 18 de junho, a secretaria da fazenda notificou Betão que o não comparecimento do servidor no prazo de 10 dias, acarretaria em processo de afastamento.

Na sexta-feira, dia 28 de junho, data em que Betão deveria comparecer ao trabalho, foi preso no Paraguai pela polícia da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai)

Para o governo, a demissão de Betão é automática e sumária, apesar de nenhum ato de exponeração ter sido publicado até o momento.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions