A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 23 de Setembro de 2018

25/04/2018 15:25

Governo do Estado negocia com o Funpen recursos para ampliar 10 presídios

Reinaldo Azambuja disse que já mantém tratativas junto ao Funpen para obter recursos que visam a ampliar em 50% capacidade do sistema prisional estadual

Humberto Marques e Guilherme Henri
Reinaldo considera injusto MS ter de arcar com gastos de presos por tráfico. (Foto: Paulo Francis)Reinaldo considera injusto MS ter de arcar com gastos de presos por tráfico. (Foto: Paulo Francis)

O governo de Mato Grosso do Sul negocia junto ao Funpen (Fundo Penitenciário Nacional) o repasse de recursos para ampliar dez unidades prisionais no Estado. A intenção, conforme revelou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), é aumentar em 50% a capacidade do sistema estadual –que hoje conta aproximadamente com 7.300 vagas, mas tem uma massa carcerária equivalente a quase o dobro deste total.

“Estamos em tratativas com o Fundo do Sistema Penitenciário porque queremos a ampliação de mais dez presídios em Mato Grosso do Sul”, afirmou Reinaldo, na chegada ao Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, no Parque dos Poderes, para assinatura de termos de repasse do Bolsa-Atleta.

Reinaldo afirmou que, além dessas unidades, duas outras tiveram as obras retomadas e devem entrar em funcionamento entre o meio e o fim deste ano –o governo finaliza obras em penitenciárias do regime semiaberto em Campo Grande (na região da Gameleira). O governador revelou, ainda, que uma terceira unidade prisional enfrenta problemas de repasses do Funpen e, por isso, ainda não pode ser concluída.

Compensação – O governador voltou a destacar que Mato Grosso do Sul move no STF (Supremo Tribunal Federal) desde o início do ano ação contra a União, a fim de cobrar indenização pela custódia de presos por tráfico de drogas e contrabando, crimes transnacionais que, na avaliação de Reinaldo, são responsabilidade do governo federal.

“Acabamos pagando pelos presos do tráfico, que são responsabilidade da União, que deveriam ir para os presídios federais. É injusto termos de arcar com esse gasto”, destacou o governador. Ele destacou que, com a destinação de recursos federais para arcar com as despesas desses detentos –que correspondem a grande parte dos presos em Mato Grosso do Sul–, “poderemos investir em outras áreas, garantindo melhor qualidade de vida aos sul-mato-grossenses”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions