A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

27/05/2015 08:12

Greve de professores começa com adesão parcial nesta quarta-feira

Aline dos Santos e Flávia Lima
Paralisação surpreendeu Rafael, que ficou sem aula hoje. (Foto: Marcelo Calazans)Paralisação surpreendeu Rafael, que ficou sem aula hoje. (Foto: Marcelo Calazans)
Escola Adventor Divino de Almeida fechou em adesão à greve. (Foto: Marcelo Calazans)Escola Adventor Divino de Almeida fechou em adesão à greve. (Foto: Marcelo Calazans)

O primeiro dia de greve dos professores da rede estadual de ensino começa com adesão parcial. Em Campo Grande, o cenário é de escolas fechadas a cadeado enquanto outras estão em plena atividade. Conforme a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação) 75% das 365 escolas fecharam no Estado.

No bairro Santo Antônio, os 1.087 alunos da escola Rui Barbosa têm dia letivo normal. De acordo com a diretora Tânia Mara Matos, foi feita uma votação entre os 70 professores e 40 funcionários administrativos e com um apertado placar, com apenas dois votos de diferença, a decisão foi de não aderir à paralisação. Ela não descarta que a situação se altere nos próximos dias.

A diretora explica que o clima ficou tenso para trabalhar diante da votação acirrada. Contudo, ela lembra que o calendário escolar em 2015 é “apertado”. Desta forma, restam as férias de julho, feriados e alguns dias de dezembro para a reposição. Conforme Tânia Mara, a situação afeta mais estudantes que farão Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

No colégio Otaviano Gonçalves da Silveira Júnior, os 500 alunos do ensino fundamental e médio têm aulas nesta quarta-feira. A direção informou somente que a decisão foi do corpo docente.

Nas escolas Joaquim Murtinho, Maria Constança de Barros e Adventor Divino de Almeida, cadeados fechavam os portões. No colégio Arlindo de Andrade Gomes, também não houve aulas. 

A greve surpreendeu o aluno Rafael Mariano, 17 anos. Ele conta que faltou ontem e não soube da paralisação. Então, o estudante, que mora no bairro Ana Maria do Couto, manteve a rotina de acordar às 6h e pegar dois ônibus para estudar. A rede estadual tem 365 escolas, 20 mil professores, 6 mil administrativos e 270 mil alunos.

Piso – Os professores recusaram proposta do governo de receber reajuste de 4,37% em outubro e a integralização do Piso Nacional do Magistério até 2022. Já os professores querem 100% do piso até 2018. Hoje de manhã os administrativo da Educação farão mobilização no Centro da Capital. À tarde, a direção da Fetems faz coletiva.

Conforme nota do governo, Mato Grosso do Sul paga o piso nacional para os professores, inclusive, 38,84% acima do valor. Enquanto o piso nacional é de R$ 1.917,78, o Estado repassa R$ 2.662,82. Mas, de acordo a administração estadual, 99,67% dos profissionais têm curso superior e recebem em média R$ 5.561,90 para carga horária de 40 horas semanais.

Aplicativo enviará à CGU denúncias de agressão e discriminação a pessoas LGBTI+
O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União recebe, a partir de hoje (18), denúncias feitas pelo aplicativo TODXS, relativas à discr...
TSE: regras eleitorais deixam dúvidas sobre fake news e autofinanciamento
O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou hoje (18), por unanimidade, as 10 resoluções que irão regular as eleições de 2018, mas ainda ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions