A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

25/11/2009 13:48

Homem baleado em briga de trânsito presta depoimento

Redação

Presta depoimento na tarde desta quarta-feira na 1ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande, o pecuarista João Alfredo Pedra, 51 anos, baleado na briga de trânsito ocorrida semana passada, que resultou na morte de Rogério Mendonça, o Rogerinho, de dois anos.

O pecuarista chegou à delegacia acompanhado da esposa Adriana, das filhas Ariana e Geordana, e de um amigo da família. Ele não quis dar entrevista, mas, prometeu conversar com a imprensa após prestar depoimento.

O avô de Rogerinho estava no banco do passageiro da caminhonete L-200, dirigida pelo filho dele, Aldemir Pedra Neto, quando foi atingido por um tiro no maxilar.

A filha dele, Geordana, conta que o projétil derrubou todos os dentes do pai e quase atingiu a artéria dele. Segundo ela, João Alfredo teve todo o maxilar reconstruído e saiu da Santa Casa na sexta-feira (20), dois dias após ser baleado.

Geordana diz que o pai só pode comer alimentos batidos e fala muito baixo, mas, com boa dicção. De acordo com ela, ele só foi à delegacia nesta tarde, porque o médico responsável autorizou o depoimento para hoje somente ontem.

Geordana e a mãe de Rogerinho, Ariana, estão com a camiseta usada na missa de 7º dia, onde consta uma foto do menino e está escrito "amor eterno Rogerinho". Ariana e a mãe dela, Adriana, prestaram depoimento ontem antes da missa.

O irmão - Geordana diz que o irmão dela, Aldemir, não é uma pessoa agressiva e que tem muitos amigos. "Se ele [o Aldemir] fosse uma pessoa perigosa no trânsito, ele [o Agnaldo] não teria buzinado para ir mais rápido", diz ela afirmando que Aldemir dirigia devagar quando a discussão teve início.

Geordana conta ainda que testemunhas da briga desmentiram que tivesse tido agressões. "Mesmo que tivesse tido, não justifica", declara a tia de Rogerinho, referindo-se aos tiros disparados por Agnaldo, que está preso no Instituto Penal de Campo Grande.

A tia de Rogerinho diz ainda que conversa com a imprensa porque não quer que o caso seja esquecido para que Agnaldo não fique impune e para que não aconteça com outras pessoas o que aconteceu com a família dela.

Aldemir teve a CNH suspensa, depois de ser flagrado pela Polícia fazendo manobras perigosas em Jardim. Como tem prazo até dia 3 de dezembro para recorrer da decisão, ele ainda tem preservado o direito de dirigia.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions