A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

14/02/2009 10:55

Horário de Verão foi teste sobre alteração definitiva

Redação

O horário de verão que termina nesse domingo desta vez serviu para o sul-mato-grossense pensar melhor sobre uma polêmica que ganhou força no ano passado: a mudança definitiva com o acréscimo de uma hora nos relógios e equiparação de Mato Grosso do Sul com horário de Brasília.

Para o mestre de obras Teodoro Torres, 65 anos, o teste valeu para reforçar o que já sabia. Ele é a favor da mudança no horário porque acredita que isso iria facilitar o dia-dia e também as viagens para outros Estados. "Ficaria mais prático para todos nós".

O horário de verão terminará à meia-noite deste sábado nas regiões Sul, Sudeste e Centro Oeste. Todo mundo terá de atrasar seus relógios em 1 hora. Uma pena, avalia o técnico de laboratório Mário Sérgio Kruki, 26 anos. "A economia que é feita no período do horário de verão, seria feita o ano todo", diz sobre a conta de energia que, segundo ele, caiu com o acender das luzes mais tarde.

Ele prefere os dias mais longos, porque tem a impressão que tem mais tempo para realizar as atividades diárias. "A gente chega em casa e ainda está claro".

Nas contas do Ministério de Minas e Energia, a economia nacional foi de aproximadamente R$ 4 bilhões, desde o dia 18 de outubro quando passou a vigorar o Horário de Verão. Houve uma redução de 2000 MW no consumo de energia durante o chamado horário de pico, que vai das 18 horas até as 21 horas.

A dona de casa Raimunda Donizete de Oliveira Ferreira, 53 anos, quer a mudança de horário. "Fica mais fresquinho para caminhar de manhã", diz ela, que reclama que terá que caminhar com sol já a partir de domingo, quando acaba a mudança..

Já Jéferson Rodrigues, 23 anos, é contra o horário de verão e também não aprova a mudança no relógio. "Eu fico cansado no serviço porque tenho que acordar muito cedo. Já cheguei atrasado três vezes", revela.

Ele acompanha a tese de médicos que integram até um comitê estadual contra a proposta de mudança, principalmente, por alterar os momentos de sono e prejudicar e atenção, aumentar a irritabilidade e o tempo de exposição ao sol, o que significa risco maior de câncer de pele, garantem os especialistas.

Hoje, tramita proposta de realização de um plebiscito em Mato Grosso do Sul para consultar a população sobre o interessa na mudança.

O projeto já está pronto para ser votado em plenário, depois de ser aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Caso seja aprovada, a proposta seguirá para votação na Câmara Federal e, se também passar pelos deputados federais, sem qualquer alteração, irá para sanção do presidente

Simultaneamente, tramita também no Senado projeto dos senadores Delcídio Amaral (PT-MS) e Jayme Campos (DEM-MT) que busca igualar o horário de Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso ao do Distrito Federal, atualmente em fase de avaliação pela CAE (Comissão de Assuntos Econômicos

Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions