A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

27/06/2014 18:10

Ibama dá aval e duplicação da BR-163 começará nas praças de pedágio

Lidiane Kober
Ibama dá aval e duplicação da BR-163 começará nas praças de pedágio

O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis) deu o aval e a duplicação da BR-163 começará nas nove praças de pedágio. Vencedora da concessão, a CCR MSVia tem 16 meses para concluir a obra, que representa 10% dos 847 quilômetros da rodovia.

Superintendente do Ibama em Mato Grosso do Sul, Márcio Yule informou ao Campo Grande News que, em nenhum momento, o licenciamento ambiental “foi obstáculo” para o início das obras pelo fato de os trechos “terem lavoura de um lado e lavoura do outro”.

“Os primeiros pontos de duplicação foram escolhidos justamente por se tratarem de áreas mais simples, sem terra indígena, sem aglomeração humana, sem área de preservação permanente”, explicou Yule.

Por esse motivo, segundo ele, em nenhum momento o licenciamento ambiental foi “obstáculo ao início dos trabalhos”. Em maio, a concessionária passou a administrar a rodovia e, até agora, não há previsão do início das obras de duplicação.

“O processo (de licenciamento) foi rápido, uma equipe do Ibama veio, olhou os trechos e deu autorização prévia”, relatou Yule. “Agora, basta uma espécie de comunicado que já pode fazer (a duplicação)”, emendou.

De acordo divulgação anterior da CCR MSVia, as praças de pedágio serão distribuídas em nove pontos. Uma será instalada em Campo Grande, outras em Rio Verde, São Gabriel do Oeste, Caarapó, Mundo Novo e Rio Brilhante.

Outra praça será construída entre Pedro Gomes e Sonora, entre Naviraí e Itaquiraí e a última em região entre Bandeirantes, Rochedo e Jaraguari.

“Foram definidos nove pontos e os 10% da duplicação serão divididos, em trecho de cerca de oito a 10 quilômetros, próximos as praças de pedágio”, revelou o superintendente do Ibama. “Pronta a duplicação, a concessionária começará a cobrar o pedágio”, acrescentou.

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) estima que a cobrança deverá começar em agosto de 2015, 18 meses após a assinatura do contrato. A previsão é de que o pedágio custe R$ 4,38 a cada 100 quilômetros.

No primeiro ano da cobrança, a estimativa é de que 68,9 mil automóveis, ônibus e caminhões paguem pedágio por dia na BR-163 em Mato Grosso do Sul.

Investimentos - Além de duplicar 847 quilômetros da BR-163, entre as divisas de Mato Grosso do Sul com os estados do Mato Grosso e Paraná, a concessão prevê investimentos de R$ 333,3 milhões em obras emergenciais. Em 30 anos, a promessa é aplicar R$ 6 bilhões.

Serão gastos R$ 289 milhões em obras de reparo, como limpeza das pistas e acostamentos, restauração preliminar do pavimento, tratamento da faixa de domínio, canteiro central, restauração emergencial das obras de artes especiais, sinalização, iluminação e instalações elétricas e das vias marginais, acessos, trevos e entroncamentos.

Só em indenizações para a duplicação da via serão investidos R$ 50 milhões. Também estão previstos R$ 44,2 milhões na construção de praças de pedágios, reforma e ampliação dos postos da Polícia Rodoviária Federal. Só na implantação e substituição de defensas metálicas e construção de cercas de proteção serão investidos R$ 44,2 milhões.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions