A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

11/12/2009 13:40

Igreja afirma que milícia do agronegócio elimina índios

Redação

Em uma nota sobre o conflito entre produtores rurais e indígenas, a Conferência Episcopal do Mato Grosso do Sul, formada por todos os bispos, faz duras críticas ao poder público e aos produtores rurais. Não poupam nem mesmo o agronegócio, apontado como o pilar da economia nos tempos de crise.

"E já que no Brasil nada se consegue senão com pressão, quando os índios se atrevem a buscar seus direitos, são tratados e eliminados como animais por milícias do agronegócio", acusa, responsabilizando os produtores rurais pelas mortes de lideranças indígenas no Estado.

"Acabam apodrecendo anos a fio em nossos presídios, já que são cada vez mais raros os advogados que ousam tomar a sua defesa", destacam os bispos, que saíram em defesa dos Guarani Caiuás, que lutam pela criação de 39 novas áreas na região sul do Estado. Há oito dias, a Funai (Fundação Nacional do Índio), sob escolta da Polícia Federal, começou os estudos para identificar as novas áreas.

A fidelidade ao Deus que se solidariza com os que são excluídos pela sociedade, nos impede de permanecer indiferentes ante a marginalização que há anos atinge a maior parte da população indígena do Estado, expropriada e banida de suas terras de origem", justificam a manifestação.

"A relutância em buscar políticas públicas que sanem, de uma vez por todas, o clima de desespero e de ódio entre produtores rurais e índios, faz com que cresça, a cada ano que passa, o número de vítimas, outorgando ao nosso Estado o triste primado de mortes de pessoas indefesas, que lutam para sobreviver em meio ao descaso e à perseguição que as cercam de todos os lados

Conselho de Psicologia aprova resolução com regra para atendimento a transexuais
Em meio à polêmica que cerca a iniciativa de psicólogos para derrubar, na Justiça, uma resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que proíbe o...
Temer veta projeto sobre negociação coletiva no serviço público
O presidente Michel Temer vetou integralmente o Projeto de Lei nº 3.831/15, aprovado pelo Congresso Nacional, que estabelecia normas para a negociaçã...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions