A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

11/01/2016 23:40

Imasul monta plantão para monitorar rios e alertar sobre risco de enchentes

Flávio Paes
Técnicos do Imasul numa estações telemétricas (Foto:Divulgação)Técnicos do Imasul numa estações telemétricas (Foto:Divulgação)

Com uma rede de 13 estações telemétricas distribuídas em sete rios, técnicos do IMASUL (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul ) estão trabalhando em regime de plantão permanente para monitorar as tendências de baixa e alta dos principais rios de Mato Grosso do Sul.

Com base nestes dados, que indicaram a elevação do Rio Aquidauana, moradores ribeirinhos dos municípios de Aquidauana, Anastácio e Dois Irmãos do Buriti foram abrigados provisoriamente em moradias mais seguras. Eles levaram em conta um alerta emitido pela Sala de Situação Imasul, que avalia em tempo real o volume dos rios e das chuvas no Estado.

O Imasul conta com uma rede de treze estações telemétricas distribuídas em sete rios: Piquiri, Cuiabá, Paraguai, Miranda, Aquidauana, Pardo e Aporé. Elas funcionam com energia solar e coletam tanto a altura dos rios como o volume das chuvas locais. Todas as informações abastecem os estudos das tendências hidrológicas.

Os dados de chuva e de níveis dos rios são coletados em tempo real com a utilização de Plataformas de Coletas de Dados– PCDs e transmitidos via satélite de cada um dos pontos de medição (altura dos rios em centímetros e volume de chuvas em milímetros). Esses dados podem ser acessados em tempo real no site da Agência Nacional de Águas: www.ana.gov.br.

Com os números nas mãos, os técnicos especialistas da Sala de Situação do Imasul avaliam com exatidão o momento em que os rios poderão ultrapassar os limites de suas calhas e inundar as regiões mais baixas, bem como o tamanho da área que a inundação pode alcançar.

"As análises são feitas levando-se em consideração a posição das estações telemétricas. Estamos sempre de olho na estação à montante (na parte mais alta do rio) para obter uma análise mais criteriosa de como ficará o volume do rio em pontos mais baixos. Com o cruzamento de dados conseguimos saber a proporção de subida dos rios por hora, avaliar as situações de risco e alertar a Defesa Civil”, explica coordenador da Sala de Situação do Imasul, Lincoln Curado.

 

Câmara de Vereadores entrega meio milhão de reais em emendas parlamentares
A Câmara Municipal de Costa Rica, a 305 quilômetros de Campo Grande, realiza nesta segunda-feira (dia 11) três sessões, duas delas especiais. Às 14h ...
Município de Itaporã comemora 64 anos de emancipação neste domingo
Conhecido como Cidade do Peixe, Itaporã, distante 227 km de Campo Grande, comemora 64 anos de emancipação neste domingo (10). A prefeitura municipal ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions