ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, DOMINGO  03    CAMPO GRANDE 34º

Cidades

Índios bloqueiam estrada após tiros em Antônio João

Redação | 18/07/2008 15:41

A estrada que dá acesso às fazendas Cedro, Barra e Fronteira localizadas no distrito de Campestre, Antônio João, localizada a 300 quilômetros de Campo Grande, foi parcialmente bloqueada por índios Guarani Kaiowá da Aldeia Cerro Marrangatú. A região é conhecida por conflitos entre indígenas e fazendeiros.

Segundo informações do posto da Funai em Antônio João, seguranças de uma das fazendas teria atirado contra os índios o que motivou o protesto. Eles exigem a presença da Polícia Federal no local para intermediar o conflito gerado após o incidente.

A PF de Ponta Porã confirmou que os empregados de uma das fazendas atiraram contra os guarani que tentavam retirar madeiras da propriedade durante a noite. Os funcionários alegam que os tiros foram disparados apenas como forma de intimidação. Mas segundo a PF, um dos tiros só não acertou as costas de um índio porque ele carregava madeira no momento do confronto. A bala teria atingido um dos troncos.

Já a Funai afirma que os disparos foram em direção aos índigenas. A Fundação informa ainda que a aldeia é próxima a fazenda onde ocorreu o incidente e que sempre quando os índios se aproximam da área os empregados reagem com tiros.

A Aldeia Cerro Maranguatú está em uma área de aproximadamente 100 hectares, com 156 famílias. Os índios reivindicam a ampliação da aldeia, por meio de desapropriação de parte de fazendas da região.

Em nota divulgada hoje, a Famasul acusa os índios de terem retomado as "invasões de propriedades rurais em Mato Grosso do Sul", após a publicação de portarias da Funai que estabeleceram início do processo de demarcação de terras guarani no Estado, o que abrange Antônio João. 

Nos siga no Google Notícias