A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2018

30/05/2014 16:02

Índios protestam contra impunidade e pedem reabertura de investigação

Edivaldo Bitencourt e Filipe Prado
Índios iniciaram concentração na Praça do Rádio e seguiram em passeata até a Ary Coelho (Foto: Marcos Ermínio)Índios iniciaram concentração na Praça do Rádio e seguiram em passeata até a Ary Coelho (Foto: Marcos Ermínio)

Cerca de 150 indígenas e integrantes dos movimentos sociais protestaram, na tarde de hoje (30), contra a impunidade pela morte do índio Oziel Gabriel, 35 anos, durante a reintegração de posse da Fazenda Buriti, em Sidrolândia, a 70 quilômetros da Capital. Eles fizeram passeata pelas ruas centrais e um ato público em frente da Superintendência da Polícia Federal.

O ato começou na Praça do Rádio e contou com a presença de terenas de Sidrolândia, que lutam pela ampliação da reserva de 2 mil para 17 mil hectares. Após a concentração, o grupo saiu em passeata com cartazes e faixas pela Avenida Afonso Pena e pelas ruas 14 de Julho, Marechal Rondon e 13 de Maio, no Centro.

Na Praça Ary Coelho, eles encerraram a primeira parte e depois seguiram em comboio até a Polícia Federal, na Vila Sobrinho, para entregar um documento e pedir a reabertura da investigação da morte de Oziel.

Após a passeata, os indígenas se dirigiram a sede da PF para pedir a reabertura da investigação (Foto: Marcos Ermínio)Após a passeata, os indígenas se dirigiram a sede da PF para pedir a reabertura da investigação (Foto: Marcos Ermínio)
Eles ocuparam duas faixas da avenida até a Praça Ary Coelho (Foto: Marcos Ermínio)Eles ocuparam duas faixas da avenida até a Praça Ary Coelho (Foto: Marcos Ermínio)

“A impunidade ainda está entalada na garganta”, afirmou o indígena Diones Gabriel, 30, irmão de Oziel. A revolta ocorre porque a PF concluiu a investigação sem identificar de onde partiu o tiro que matou Oziel durante a reintegração de posse da área em 30 de maio do ano passado.

Os índios querem a demarcação da área e Justiça. A presidente da República, Dilma Rousseff (PT) autorizou o enviou de tropas federais ao Estado e determinou a agilização na solução do conflito na região.

No entanto, o Governo federal pretende pagar R$ 78 milhões pelas terras, mas os produtores exigem, pelo menos, R$ 124 milhões. O impasse deve ser solucionado até 30 de junho deste ano, segundo a última promessa feita pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. No entanto, os índios estão revoltados e querem uma solução imediata para o problema.

Eles pedem a identificação do atirador que matou Oziel terena (Foto: Marcos Ermínio)Eles pedem a identificação do atirador que matou Oziel terena (Foto: Marcos Ermínio)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions