A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019

07/06/2019 11:45

“Ele apontou a arma para meu irmão de 4 anos”, diz assassino confesso

Pablo Guilherme, de 20 anos, confessou que matou ex-presidiário para não morrer e por causa das ameaças à sua família

Helio de Freitas, de Dourados
Pablo confessou ter matado Leandro de Lima com quatro tiros na quarta à noite em Dourados (Foto: Adilson Domingos)Pablo confessou ter matado Leandro de Lima com quatro tiros na quarta à noite em Dourados (Foto: Adilson Domingos)

Pablo Guilherme Alves da Silva, 20, confessou ter assassinado o ex-presidiário Leandro Dantas de Lima, 26, o “Zóio de Gato”, no final da tarde de quarta-feira (5) em Dourados, a 233 km de Campo Grande.

“Antes a mãe dele chorar que a minha. Ele ameaçava minha família, botou revólver na cabeça do meu irmão de 4 anos”, afirmou Pablo ao ser apresentado nesta sexta-feira, na Polícia Civil. Segundo ele, Leandro tinha tentado matá-lo a golpes de faca em 2017.

Com extensa ficha criminal desde quando era menor de 18 anos e com passagens por tráfico de drogas, ameaça e lesão corporal, Leandro foi morto perto de uma escola no Jardim João Paulo II, na região leste de Dourados. Ele seguia pela rua quando foi alvejado com quatro tiros.

“Zóio de Gato” já tinha sofrido dois atentados. O irmão e o primo de Pablo estão presos atualmente por serem os autores de uma das tentativas.

Pablo foi preso ontem pelo SIG (Serviço de Investigações Gerais) da Polícia Civil. De acordo com o delegado Rodolfo Daltro, a investigação mostrou que Leandro e Pablo tinham desavença antiga. Uma testemunha viu o atirador fugir em um Fiat Uno branco, o carro de Pablo.

Detido como suspeito e levado para a delegacia, Pablo confessou o crime ontem e disse ao delegado que estava sendo ameaçado por Leandro.

Revólver usado no crime foi encontrado na casa do amigo do assassino confesso (Foto: Adilson Domingos)Revólver usado no crime foi encontrado na casa do amigo do assassino confesso (Foto: Adilson Domingos)

Arma do crime – Ele ainda apontou seu cúmplice no crime, um adolescente de 17 anos, que foi apreendido. O Fiat Uno e o revólver calibre 38 usado no assassinato foram encontrados na casa de Marcos Adriano Faustino Ribeiro. A arma estava com quatro munições de origem estrangeira.

Marcos negou envolvimento no homicídio e disse que guardou o carro e escondeu o revólver a pedido de Pablo sem saber da morte de Leandro. Ele foi preso por posse ilegal de arma.

Pablo foi preso em flagrante por “homicídio qualificado pela traição, emboscada ou meio que dificultou a defesa da vítima”, por confessar ter atirado pelas costas da vítima. O delegado pediu a prisão preventiva dele.

Segundo Rodolfo Daltro, o adolescente tinha saído há poucos dias da Unei (Unidade Educacional de Internação). O menor nega participação no crime e diz que apenas acompanhava Pablo, mas foi apreendido por ato infracional análogo à pratica de homicídio qualificado.

Veja o vídeo abaixo com a entrevista de Pablo e do delegado responsável pelo caso:

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions