A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

14/02/2019 19:31

“Ele está saindo”, avisou funcionário de empresário a atirador

Suposto amante da mulher de empresário fechou a loja com o patrão minutos antes do atentado, ontem em Dourados

Helio de Freitas, de Dourados
Leandro, João Paulo, Charles, Pedro, e os irmãos David e Paulo Vitor, da esquerda para a direita (Foto: Adilson Domingos)Leandro, João Paulo, Charles, Pedro, e os irmãos David e Paulo Vitor, da esquerda para a direita (Foto: Adilson Domingos)

Motorista na empresa de turismo Euro Tur, Pedro Jorge Braga Cancio Junior, 29, avisou aos atiradores a hora exata em que seu patrão, o empresário José Pereira Barreto, tinha saído da loja, no final da tarde de ontem (13) em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Barreto levou três tiros e está internado.

Pedrinho foi preso em flagrante com outros seis envolvidos, entre os quais a mulher do empresário, Valdirene Fiorentino da Silva, 35, suposta amante do rapaz.

Após o SIG (Serviço de Investigações Gerais) da Polícia Civil desvendar o caso, Pedro confessou ter planejado o assassinato de José Barreto em parceria com Valdirene.

Ele disse que após o expediente de quarta-feira, ajudou o patrão a fechar a loja. Quando Barreto entrou em sua caminhonete S10 prata e saiu, Pedro ligou para o bandido contratado para disparar os tiros. “Está saindo”, avisou.

José Barreto deixou a loja no centro e seguiu para casa pela Rua Mato Grosso. No cruzamento com a Rua Cuiabá, a dupla em uma moto emparelhou com a caminhonete e vários tiros foram disparados. Ferido, Barreto perdeu o controle da direção, bateu em dois carros e parou na parede de uma loja.

Os tiros foram disparados por Charles Barros de Lima Ribeiro, 21. Ele estava na garupa da moto Twister preta, pilotada por Paulo Vitor dos Santos, 32.

Tentou criar álibi – Valdirene, que tinha fugido de casa na madrugada de domingo, tentou montar um álibi para não ser considerada suspeita.

No momento que o crime seria praticado, ela foi até a 1ª Delegacia de Polícia e procurou o delegado Rodolfo Daltro, chefe do SIG, para explicar os motivos de ter saído de casa. O marido dela tinha registrado um boletim de ocorrência denunciando o desaparecimento da mulher.

Quando conversava com a mulher, o delegado foi informado do atentado. Ao chegar ao local, descobriu que a vítima era José Barreto, marido de Valdirene. De volta à delegacia, Daltro passou a conversar com a mulher e após quase duas horas de depoimento ela confessou o crime.

Pedro confessou ter sugerido para Valdirene o plano para matar o empresário. Ela aceitou no ato.

Casada com José Barreto há 17 anos e com quem tem três filhos – de 16, 12 e 10 anos – Valdirene disse que aceitou mandar matar o marido por causa das brigas constantes.

Fugiu de casa – No sábado, o casal teve outra briga e Barreto saiu de casa. Em seguida, ela conversou com Pedro por ligação e por mensagens via WhatsApp. Decidiram então colocar o plano de assassinato em prática. Na mesma noite, Valdirene saiu de casa e com a ajuda de Pedro foi para Campo Grande, de táxi.

Natural de Maceió (AL), Pedrinho está em Dourados há dois anos e eram um dos motoristas dos ônibus da Euro Tur. Ele ficou com a missão de contratar os pistoleiros para matar o patrão.

Pedro Junior procurou David Jonathan dos Santos, 29, também alagoano, e João Paulo Alves Cardoso, 26. A dupla decidiu passar a “empreitada” para outra pessoa e fizeram contato com Leandro Alves Gonçalves, 24.

Foi Leandro que contratou Charles e Paulo Vitor dos Santos, 32, os dois, assim como Pedrinho, também nascidos em Alagoas. Paulo Vitor e David são irmãos.

O delegado Rodolfo Daltro explicou que Leandro comprou a moto e o revólver calibre 357 usados pela dupla. Foram aprendidos o documento da moto e a arma.

Com David e João Paulo foram encontrados R$ 1.700 e R$ 1.800 com os atiradores. No total, a polícia apreendeu R$ 7.500. O grupo teria sido contratado por R$ 20 mil.

Roupas de Valdirene foram encontradas na casa de David e João Paulo. Teriam sido deixadas lá por Pedro Junior. Valdirene, Pedrinho e Leandro confessaram o crime.

Os outros quatro negam. O suposto caso amoroso entre Valdirene e Pedro não foi relatado nos autos. Os sete foram autuados em flagrante por tentativa de homicídio mediante pagamento.

Revólver calibre 357 usado no atentado a empresário em Dourados (Foto: Adilson Domingos)Revólver calibre 357 usado no atentado a empresário em Dourados (Foto: Adilson Domingos)
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions