ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUARTA  01    CAMPO GRANDE 20º

Interior

Ação do Gaeco contra o PCC prende oito, encontra arma e drogas

São 24 mandados em cinco cidades de Mato Grosso do Sul e uma no Paraná

Por Mayara Bueno | 23/07/2018 12:25
Armamento encontrado por policiais. (Foto: Divulgação PMMS).
Armamento encontrado por policiais. (Foto: Divulgação PMMS).
Documentos, celulares e dinheiro encontrado durante operação. Foto: Divulgação PMMS).
Documentos, celulares e dinheiro encontrado durante operação. Foto: Divulgação PMMS).

A Operação Mudra, deflagrada nesta segunda-feira (dia 23) pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), prendeu oito pessoas, encontrou arma, porções de drogas, celulares além de outros equipamentos. As informações são da Polícia Militar.

A ação cumpre 24 mandados, dos quais, 18 de busca e seis de prisão, em cinco cidades de Mato Grosso do Sul e uma no Paraná. Os alvos pertencem ao PCC (Primeiro Comando da Capital).

Em Nova Andradina, policiais do 8ª Batalhão da PM prenderam seis pessoas - três homens e três mulheres -, integrantes da facção criminosa. Durante as revistas, foram encontradas uma espingarda de pressão modificada para receber munição de .22, porções de drogas e balança de precisão, "além de vários aparelhos celulares".

Já segundo o Gaeco, três dos que tinham mandados de prisão nesta operação já estavam presos por outros motivos. Outros três estavam soltos e dois foram detidos em flagrantes. Um dos presos foi um empresário de Nova Andradina, identificado como Ademir Naide de 46 anos, o “Gago”. Não foram repassados mais detalhes das detenções.

Operação - Ainda conforme o Gaeco, provas colhidas em suas investigações e também da Polícia Civil apontam que líderes da facção estão trabalhando na expansão do domínio da organização criminosa nos presídio do Estado, além de continuarem ordenando a execução de crimes do lado de fora das grades.

Para ampliar o poder, o PCC estaria reforçando o caixa. “Apurou-se que a organização criminosa desenvolve ações voltadas ao seu fortalecimento e domínio dos presídios e das áreas de interesse para o tráfico de drogas. Os meios de obtenção de recursos para seu autofinanciamento são os crimes contra o patrimônio, especialmente de roubos”, informou o Gaeco por meio de nota emitida mais cedo.

O Gaeco espalhou equipes em Campo Grande, Terenos, Dourados, Caarapó, Nova Andradina e Porecatu (PR). Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Criminal de Dourados e da Vara Criminal de Nova Andradina a pedido da 3ª Promotoria de Justiça de Nova Andradina.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário