ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 23º

Interior

Acumulando prejuízos, caminhoneiros fazem protesto contra greve de auditores

Nyelder Rodrigues | 23/11/2016 22:23

Vários camioneiros protestaram contra a greve promovida pelos auditores fiscais da Receita Federal em Ponta Porã - cidade localizada a 322 km de Campo Grande. Lá, existe um porto seco onde a fila de caminhões é cada vez maior, assim como o prejuízo, que chega a casa de R$ 406,8 mil/dia.

Os auditores pedem melhorias salariais, como plano de carreira, entre outros. Contrários a essa manifestação, os motoristas de caminhão fecharam a saída do porto seco, impedindo a movimentação de mercadorias por completo. Antes, os servidores públicos estavam liberando a passagem de produtos perecíveis.

Diante do "contraprotesto" feito pelos camioneiros, os auditores fiscais afirmam que não vão recuar e manter a greve, e seguir liberando apenas mercadorias perecíveis. Não há posicionamento emitido pela Receita Federal sobre a situação.

Conforme análise do site Ponta Porã Informa, o montante perdido com os atrasos na entrega de mercadorias - há profissionais parados há mais de 20 dias no porto seco - é de R4 406,8 mil por dia, levando em consideração números da Fiems (Federação da Indústria do Estado de Mato Grosso do Sul) sobre a exportação regional.

Entre janeiro e outubro, foram exportados pelo Estado via Ponta Porã 60 mil toneladas em produtos, equivalente a US$ 24 milhões, ou seja, R$ 76,8 milhões. Assim, o cálculo divide o valor total por 200 dias úteis, chegando aos US$ 120 mil por dia - na conversão para real, R$ 406,8 mil.

Nos siga no Google Notícias