A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017

30/08/2017 11:37

Adiamento de exame causou confusão e prisão de vereador, diz prefeitura

Discussão em posto de saúde de Terenos ocorreu na sexta-feira, dia 25

Mayara Bueno

Adiamento de exame e mudança em horário de atendimento motivaram a discussão e confusão, que terminaram na prisão do vereador de Terenos, Silvio Brites, na sexta-feira, dia 24. A Prefeitura de Terenos, 25 km de Campo Grande, enviou nota de esclarecimento sobre a situação, que ocorreu na UBS (Unidade Básica de Saúde) Dr. Samuel Chaia Jacob.

O Campo Grande News divulgou um vídeo da confusão no posto de saúde. No fim, o vereador é levado até uma viatura da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul).

Conforme a prefeitura de Terenos, o diretor técnico da unidade, Volnei Fontoura, realizava atendimento quando lhe apresentaram um pedido de ultrassonografia da neta do vereador.

No entanto, ao analisar o quadro da paciente constatou-se que o caso não era grave e que, na verdade, ela precisaria de exame de raio-x. 'Devida a carga horária de trabalho, que é de 20 horas semanais, em alguns dias o técnico responsável pelo raio-x realiza atendimento em um período", traz a nota.

A direção, então, teria dito que o caso não apresentava gravidade e que o exame seria feito assim que o responsável chegasse. Momento em que o vereador teria se alterado. "Começou a proferir palavras de indignação em tom agressivo, além de realizar questionamentos e inverdades sobre o atendimento da saúde".

Foi pedido que o parlamentar se retirasse do local no mesmo momento em que foi acionado reforço policial. Mais tarde, Sílvio teria voltado ao posto junto com outros "colegas do legislativo", quando a Polícia deu voz de prisão.

Quanta à mudança de horário de realização do exame, a prefeitura reconheceu que não informou a situação durante a prestação de contas que houve anteriormente na Câmara Municipal.

Mas, ressaltou que os horários de atendimento e testes de saúde estão expostos no mural da unidade. "Portanto, não há justificativa para tal ato de violência contra os funcionários da saúde".

A reportagem ligou para os dois números de celular do vereador, mas uma das ligações não foi atendida e a outra chamada caiu direto na caixa. Mas, a Câmara Municipal de Terenos informou qu e o parlamentar foi detido, mas liberado no mesmo dia.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions