ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 23º

Interior

Advogada de Pavão passa por cirurgia após atentado, mas morre no hospital

Imagens mostram o momento em que a vítima é surpreendida por um pistoleiro, enquanto deixava um endereço na cidade

Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 12/11/2018 23:31
Pistoleiro a pé, atirando contra a advogada, esta noite (13). (Foto: Reprodução)
Pistoleiro a pé, atirando contra a advogada, esta noite (13). (Foto: Reprodução)

Morreu há pouco no hospital a advogada Laura Casuso, de 54 anos, alvejada por pistoleiros, no começo desta noite (12) em Pedro Juan Caballero, cidade que faz fronteira com Ponta Porã, a cerca de 323 quilômetros de Campo Grande.

Laura chegou a ser operada no Hospital Regional da cidade depois de ser atingida por pelo menos cinco tiros, mas não resistiu aos ferimentos. No local do atentado, a polícia encontrou 19 cartuchos de pistola 9 milímetros disparados contra a vítima que mesmo com colete a prova de balas, ainda foi atingida.

Uma câmera de segurança flagrou toda a a ação dos criminosos. Na imagens é possível ver o momento em que a advogada deixa um endereço onde participava de uma reunião para atender o telefone. Em seguida um atirador desce de uma camionete Hillux, preta, vai até ela correndo e dispara pelos menos seis vezes. A vítima cai na hora. 

Do veículo, outro homem também dispara para o alto e em direção ao corpo e o endereço onde a advogada estava. Pelo vídeo também é possível ver a rajada dos tiros saindo das armas. Em seguida os criminosos fogem. 

Após ser baleada, a advogada foi levada ao Hospital Regional de Pedro Juan, onde foi submetida ao procedimento cirúrgico.

A camionete usada no crime foi encontrada próximo a um supermercado da cidade e os criminosos que ainda não foram encontrados teriam fugido para o lado brasileiro da fronteira. Paralelo às buscas dos pistoleiros a polícia paraguaia também informou a imprensa local que as testemunhas que participavam da reunião com a advogada também já foram identificadas e serão ouvidas.

Ainda de acordo com o chefe de polícia paraguaia, Teófilo Giménez, existe a suspeita de que os próprios pistoleiros é quem teriam ligado para a advogada para que ela saísse e fosse morta.

Outra linha de investigação que deve ser explorada é a possibilidade de que o crime, tenha relação com o fato de que Laura advogava para o narcotraficante Jarvis Gimenes Pavão e também teria atuado em processos do também narcotraficante Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto. 

Pavão, mesmo preso, chegou a ser comparado a Pablo Escobar quanto ao poder no tráfico de cocaína e Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, é chefe da facção Comando Vermelho, rival do PCC (Primeiro Comando da Capital).

Confira como foi o atentando no vídeo divulgado pelo site ABC Color:

Nos siga no Google Notícias