ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 

Interior

Além de manter delegado como réu por homicídio, TJ manda agendar júri até abril

Determinação da desembargadora Elizabete Anache foi de fixar prazo máximo para julgamento até 30 de abril

Por Lucia Morel e Marta Ferreira | 04/03/2021 18:09
Fernando em foto na Delegacia de Corumbá. (Foto: Correio de Corumbá)
Fernando em foto na Delegacia de Corumbá. (Foto: Correio de Corumbá)

Júri do delegado Fernando Araújo da Cruz Júnior, de 34 anos e preso acusado de ter matado o boliviano Alfredo Rangel Weber em fevereiro de 2019, deve ser realizado até o próximo dia 30 de abril, conforme decisão da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça.

A determinação da desembargadora Elizabete Anache foi de fixar prazo máximo para julgamento do Tribunal do Júri em 30 de abril de 2021 por “suposta prática de homicídio qualificado por motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima”.

O então delegado em Corumbá e sua esposa discutiram com o boliviano e Fernando o esfaqueou. Ao ser socorrido em ambulância para ser levado a serviço médico na cidade brasileira, o policial interpelou a ambulância na estrada e atirou contra Alfredo, lhe atingindo cabeça, tórax, ombro e braço.

Fernando ainda, para se livrar da pena, ameaçou testemunhas para que não o denunciassem e também, com ajuda de investigador da Polícia Civil de Corumbá, descaracterizou a caminhonete usada para interceptar a ambulância.

A discussão na qual tudo começou teria relação com o fato de Weber ter cobrado a esposa do delegado, que é boliviana, por dívidas do ex-marido dela, Odacir Santos Correia, traficante preso pela Polícia Federal em 2003, durante a Operação Nevada.

O delegado está preso em cela da 3ª Delegacia de Campo Grande desde 2019.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário