ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, DOMINGO  23    CAMPO GRANDE 24º

Interior

Alvo da PF, vereador afastado por suspeita de grilagem retorna ao cargo

Parlamentar classificou a operação como “midiática” em seu retorno à Câmara

Jhefferson Gamarra | 11/04/2023 14:35
Vereador Rafael Modesto, alvo de operação da PF (Foto: Divulgação)
Vereador Rafael Modesto, alvo de operação da PF (Foto: Divulgação)

Alvo da operação Bárbaros, deflagrada pela Polícia Federal no início de março, o vereador de Ponta Porã, Rafael Modesto (PSDB), que inicialmente foi afastado de suas funções por 180 dias, teve habeas corpus garantido no TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região e retornou ao mandato na Câmara Municipal.

A operação que afastou o vereador é resultado de investigações contra crimes de invasão de terras da União, corrupção, advocacia administrativa, tráfico de influência, falsidade documental e estelionato. Além do parlamentar, a operação teve como alvo um ex-vereador e pelo menos três assessores parlamentares.

As investigações começaram logo após fiscalização da Superintendência do Patrimônio da União – vinculada ao Ministério da Economia – constatar ocupações irregulares em imóveis de propriedade da União no município de Ponta Porã.

Na decisão que garantiu o retorno imediato do vereador aos trabalhos legislativos, o Tribunal Regional Federal entendeu que a decisão que determinou o afastamento não foi devidamente fundamentada e sem relação entre as condutas apontadas pela Polícia Federal e a atividade parlamentar.

Em seu primeiro discurso no retorno à Câmara Municipal, o vereador classificou a operação da Polícia Federal como “midiática”, mesmo que ainda não tenha sido absolvido das acusações.

“A Polícia Federal fez a maior operação cinematográfica que já vi na minha vida. Eles desencadearam uma operação denominada “Bárbaros”, me ligando a pessoas que inclusive eu tenho o mínimo de contato, mas de alguma forma tinha que ocorrer alguma operação, né? Nessa operação, 40 homens foram na minha casa”, discursou o vereador.

Nos siga no Google Notícias