ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 17º

Interior

PF mira vereador, assessores e ex-vereador por grilagem de terra da União

Operação Bárbaros cumpre mandados hoje em Ponta Porã; vereador Raphael Modesto foi afastado por 180 dias

Helio de Freitas, de Dourados | 07/03/2023 09:05
Agentes da PF em frente à Câmara de Ponta Porã, nesta terça-feira (Foto: Divulgação)
Agentes da PF em frente à Câmara de Ponta Porã, nesta terça-feira (Foto: Divulgação)

A Operação Bárbaros, desencadeada hoje (7) pela Polícia Federal em Ponta Porã (a 313 km de Campo Grande) para investigar esquema de grilagem de terras da União na fronteira com o Paraguai, tem cinco alvos principais.

Além do vereador Raphael Modesto Carvalho Rojas (PSDB) – como o Campo Grande News antecipou nesta manhã – a operação mira um ex-vereador e pelo menos três assessores parlamentares. Os nomes deles não foram informados.

Quarenta agentes das delegacias da PF em Ponta Porã, Dourados e Campo Grande, além de integrantes do GPI (Grupo de Pronta Intervenção) da Polícia Federal em Mato Grosso do Sul saíram às ruas para cumprir seis mandados de busca e apreensão nas casas dos investigados e na sede da Câmara de Vereadores, na Avenida Brasil.

Por ordem da Justiça Federal, Raphael Modesto foi afastado do mandado de vereador por 180 dias. Os cinco investigados também estão proibidos de manter contato e aproximação e um dos deles não poderá contatar servidores da Superintendência do Patrimônio da União em Mato Grosso do Sul.

Vereador Raphael Modesto foi afastado pela Justiça Federal (Foto: Divulgação)
Vereador Raphael Modesto foi afastado pela Justiça Federal (Foto: Divulgação)

Segundo a PF, a operação investiga crimes de invasão de terras da União, corrupção, advocacia administrativa, tráfico de influência, falsidade documental e estelionato envolvendo o vereador, assessores parlamentares e um ex-vereador de Ponta Porã.

As investigações começaram logo após fiscalização da Superintendência do Patrimônio da União – vinculada ao Ministério da Economia – constatar ocupações irregulares em imóveis de propriedade da União no município de Ponta Porã.

O nome da operação remonta à época do Império Romano em que os povos bárbaros não falavam o idioma grego e nem compartilhavam da mesma cultura e modo de organização da sociedade grega.

Habitavam o norte da Europa, em região conhecida como Germânia. A partir do século III d.C., começaram a migrar e invadir as terras do Império Romano do Ocidente. A PF vai divulgar o balanço da operação ainda nesta terça.

Nos siga no Google Notícias