ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Amigos farão passeata por justiça a ex-vereador morto por PM em Anastácio

Evento será pacífico, nesta quarta-feira, sétimo dia do falecimento do ex-parlamentar

Por Natália Olliver | 12/05/2024 18:20
Dinho Vital foi morto a tiros, após discussão em festa (Foto/Arquivo pessoal)
Dinho Vital foi morto a tiros, após discussão em festa (Foto/Arquivo pessoal)

Amigos do ex-vereador, Wander Alves Meleiro, conhecido como “Dinho Vital” (PP),  farão passeata com pedido de justiça pela morte do ex-parlamentar, nesta quarta-feira (15), dia que marca o sétimo dia do falecimento. Ele foi morto em troca de tiros com um policial militar na BR-262, em Anastácio, a 137 quilômetros da Capital sul-mato-grossense.

Segundo a amiga e idealizadora da ação, Jocielly Fernandes. O ato será pacífico e a contração sairá da Praça Arandú, no centro da cidade. Ela pede que os presentes compareçam com uma camiseta branca ou usem a blusa feita pelo grupo para homenagear Dinho. Posteriormente a missa de 7º dia será realizada na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, às 19h.

“Quarta-feira ocorreu essa tragédia. A situação é muito triste, a cidade, a família, os amigos mais próximos, todo mundo está muito triste, muito revoltado e em um  ato inteligente resolvemos nos juntar pra fazer essa passeata para pedir justiça, porque as pessoas que conhecem sabem que o Dinho nunca fez mal a ninguém”.

Ela acrescenta que não acredita na versão apresentada pelo militar e sustenta a hipótese de que o amigo foi vítima de execução. “A família é muito querida na cidade, são pessoas do bem. Estamos fazendo isso porque a gente acredita que foi sim uma execução. Foram muitos tiros, muitos disparos”.

Prints do grupo, formado por pelo menos 600 pessoas, intitulado ‘Justiça por Dinho’ circulam na internet e mostram falas de ódio e anúncio de invasão à sede da prefeitura do município. Jocielly admite que as incitações realmente aconteceram, mas que não representam o intuito do grupo.

“Não terá ato de vandalismo, nossa intenção é apenas pedir por justiça. O rapaz que fala que vai invadir a prefeitura foi removida do grupo”.

Corpo do ex-vereador às margens da BR-262 em Anastácio (Foto: Portal de Aquidauana)
Corpo do ex-vereador às margens da BR-262 em Anastácio (Foto: Portal de Aquidauana)

A morte - Dinho Vital foi morto na BR-262, no fim da tarde da última quarta-feira(8), logo após brigar com o ex-prefeito de Anastácio, Douglas Melo Figueiredo (PSDB), durante festa de comemoração do aniversário da cidade numa chácara próxima à rodovia.

Segundo relataram testemunhas, o ex-vereador, aparentemente alcoolizado, discutiu com o ex-prefeito na festa dada em comemoração aos 59 anos do município. A briga começou depois que o atual prefeito, Nildo Alves (PSDB), anunciou que lançaria Douglas pré-candidato pelo partido, e foi separada por outros frequentadores. O ex-vereador saiu e voltou armado.

Ele fazia ameaças a Douglas, que já havia deixado a comemoração, e a troca de tiros aconteceu quando os policiais militares à paisana o abordaram na rodovia. O veículo Fiat Toro, que Dinho dirigia, ficou com o pneu furado na rodovia. Uma arma também foi encontrada próxima ao corpo. O Corpo de Bombeiros foi chamado pouco depois das 17h para uma ocorrência de disparo de arma de fogo na rodovia.

Dois policiais militares estão envolvidos na ocorrência. A informação que circula na cidade é que o sargento e o cabo, que não estavam fardados, faziam parte da equipe de segurança particular contratada por Douglas Figueiredo. Eles negam.

Em nota, a assessoria da PM (Polícia Militar) informou que os tiros foram disparados por dois policiais de folga, acionados por participantes da festa, para que interviessem em caso de pessoa armada no local. Ainda em nota, a PM alega que os militares viram pessoa armada com pistola, que seria Dinho Vital. Anunciaram que eram policiais e ordenaram que colocasse a arma no chão.

 "(...) mesmo assim o homem não acatou a ordem legal dos PMs e, com arma em punho, partiu em direção aos policiais". A ação será investigada por meio de um IPM (Inquérito Policial Militar).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias