ACOMPANHE-NOS    
FEVEREIRO, SÁBADO  27    CAMPO GRANDE 30º

Interior

Aos 6 anos, filha de casal assistiu pai assassinar a mãe e depois se matar

Não há registros de violência doméstica, nem pedido de medida protetiva contra homem, mas amigos disseram que eles brigavam muito

Por Mirian Machado | 25/01/2021 16:23
Filha de casal, presenciou cena do crime, segundo delegada  (Foto: Divulgação / Facebook)
Filha de casal, presenciou cena do crime, segundo delegada  (Foto: Divulgação / Facebook)

A filha do casal Alejandro Antônio Aguilera e Eliane Ferreira Siolim presenciou a cena do crime, onde ambos morreram, na noite de domingo (24), em um sitio distrito de Nova Itamarati, em Ponta Porã. Conforme a delegada Analu Ferraz da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Ponta Porã, a menina que tem 6 anos foi entregue aos familiares logo após serem acionados.

Como a testemunha é criança ela não será ouvida a princípio. De acordo com a delegada, é preciso de uma oitiva especializada para ouvir o depoimento da criança na presença de uma equipe multidisciplinar, para que seja evitado sua “revitimizacao e sofrimento por ter que contar tudo novamente”.

A principal suspeita é feminicídio seguido de suicídio. Após ser acionada pelo caseiro do sitio, a polícia encontrou o corpo de Eliane e Alejandro na varanda, nos fundos do local que fica no distrito. No corpo de Eliane foram encontradas ao menos 14 perfurações e uma na cabeça de Alejandro, mas a polícia localizou 17 capsulas deflagradas pelo local.

Ainda conforme a delegada Analu, não há registros de violência doméstica, nem pedido de medida protetiva contra Alejandro. “Mas amigos próximos disseram que eles brigavam muito, inclusive em público”, explica.

O caso a principio foi registrado como morte a esclarecer, mas só hoje após ouvir outras pessoas foi concluído que a principal suspeita seja de feminicídio.

Sítio onde ocorreu o crime na noite de domingo. (Foto: Divulgação)
Sítio onde ocorreu o crime na noite de domingo. (Foto: Divulgação)

Caso- A polícia foi acionada pelo caseiro do sitio após ouvir os disparos, por volta das 20h30 de domingo (24). Os corpos foram cobertos pelo caseiro com um cobertor azul até a chegada da polícia e perícia.

Além dos disparos, o braço direito de Eliane estava aparentemente quebrado, segundo consta no boletim de ocorrência. Alejandro foi encontrado com um disparo de arma de fogo na cabeça.

A polícia localizou uma arma de fogo de calibre 9 milímetros com uma munição e um carregador sobressalente municiado.

O caso segue sendo investigado pela 1ª Delegacia de Polícia Civil de Ponta Porã.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário