A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 26 de Março de 2017

03/04/2013 09:25

Bancários de Dourados protestam contra suspensão de plano de saúde em hospitais

Paula Maciulevicius
Encerramento dos atendimentos prejudica cerca de 300 bancários de Dourados e região. (Foto: Sindicato dos Bancários de Dourados)Encerramento dos atendimentos prejudica cerca de 300 bancários de Dourados e região. (Foto: Sindicato dos Bancários de Dourados)

Funcionários do Banco de Brasil de Dourados fazem protesto nesta quarta-feira em frente a uma das agências da cidade, contra o encerramento do atendimento hospitalar pelo plano de saúde da empresa, a Cassi (Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil).

É a segunda movimentação realizada pelos bancários desde a suspensão oficializada dia 25 de março. O encerramento dos atendimentos prejudica cerca de 300 bancários de Dourados e 12 municípios próximos que usam a cidade como referência em tratamento de saúde.

Segundo o diretor de Imprensa e Comunicação do Sindicato dos Bancários de Dourados e Região, Joacir Rodrigues de Oliveira, os hospitais de Dourados encerraram o atendimento no início do mês passado, depois retomaram apenas as emergências, para então suspender de vez e sem comunicar os funcionários.

“Virou um caos, tem esposa, bancário que já tinha cirurgia marcada. A gente está tentando negociar, estamos entrando em contato com a direção da Cassi em Brasília, mas estão pondo dificuldade”, relata o diretor.

Com carro de som, faixas e panfletos, cerca de 10 bancários denunciam a postura dos responsáveis em resolver o problema, que segundo o Sindicato, até o momento não apresentaram soluções. A manifestação se estende toda a manhã e vai retardar a abertura da agência da avenida Marcelino Pires, no Centro, em duas horas. O atendimento ao público será iniciado ao meio-dia.

A programação de manifestos pode continuar até que os bancários tenham em definitivo uma posição do Banco do Brasil. “A alegação por parte da Cassi é que está sendo pedido um preço muito alto, por outro lado, os hospitais dizem que o preço está defasado. O banco tem responsabilidade pelo plano para os funcionários”, ressalta Joacir.

Homem de 74 anos é morto a tiro em frente de casa por causa de fofoca
Jucelino Antônio Pereira, 74 anos, foi morto com um tiro no ombro, no distrito do Alto Santana, em Paranaíba, distante 422 quilômetros de Campo Grand...
Por rixa antiga, adolescentes matam jovem de 18 anos a facadas
Uma briga acabou em morte na noite de ontem em uma lanchonete de Juti, município a 320 quilômetros de Campo Grande. Willian Santiago Perrengue, de 18...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions