A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 19 de Outubro de 2019

05/02/2019 11:39

Carga recorde de cocaína foi pista para polícia chegar a paradeiro de Minotauro

Vivendo como milionário em Balneário Camboriú, Minotauro vacilou quando tentou tirar 940 quilos de cocaína da fronteira

Helio de Freitas, de Dourados
BMW apreendido com 940 quilos de cocaína em janeiro; destino da droga ajudou a revelar paradeiro de traficante (Foto: Adilson Domingos)BMW apreendido com 940 quilos de cocaína em janeiro; destino da droga ajudou a revelar paradeiro de traficante (Foto: Adilson Domingos)

A apreensão de uma carga recorde de quase uma tonelada de cocaína, no dia 22 de janeiro deste ano, em Mato Grosso do Sul, ajudou a polícia brasileira a chegar ao paradeiro de Sérgio Arruda Quintiliano Neto, o “Minotauro”, o novo chefão do narcotráfico que espalhou o terror na Linha Internacional nos últimos meses.

Minotauro foi preso na tarde de ontem (4) na Operação Teseu, da Polícia Federal. Teseu é o nome do personagem da mitologia grega que derrotou o minotauro, criatura mítica que habitava o labirinto de Creta.

O narcotraficante procurado no Brasil e no Paraguai vivia como milionário, se revezando em dois apartamentos que alugou em condomínios de luxo em Balneário Camboriú. Ele foi preso no Marina Beach Towers, onde o preço médio dos apartamentos é de R$ 3,2 milhões.

Localizada em um utilitário BMW X5, com placa e Brusque (SC), a cocaína saiu de Pedro Juan Caballero e estava sendo levada para o litoral catarinense por Ademir Amaro da Silva, 37, residente em Ponta Porã. Ele foi preso em flagrante por tráfico internacional.

A apreensão foi feita por policiais rodoviários federais após vários dias de monitoramento na fronteira. O serviço de inteligência havia detectado que um grande carregamento de droga seria retirado da Linha Internacional naqueles dias.

Os seguidos assassinatos e constantes operações policiais nos dois lados da fronteira criaram um clima de instabilidade em Pedro Juan Caballero e Ponta Porã.

Acuados, Minotauro e sua facção aliada, o PCC (Primeiro Comando da Capital), anteciparam o envio da cocaína, que tinha como destino o litoral catarinense, mas carga avaliada em R$ 50 milhões foi interceptada pela PRF de MS na BR-463.

Agentes da Polícia Federal estavam no encalço de Minotauro e já sabiam de seu paradeiro em Santa Catarina. Em nota divulgada hoje, a Polícia Federal afirma que a operação para chegar ao traficante durou seis meses.

O Campo Grande News apurou que informações obtidas pelos PRFs de Mato Grosso do Sul em decorrência da apreensão da carga de cocaína foram decisivas para a localização do narcotraficante. A PRF de MS também prestou apoio no decorrer da operação.

Minotauro foi preso quando participava de uma festinha privada no luxuoso apartamento do Marina Beach Towers. A mulher dele estava no outro apartamento, também em Balneário.

Paraíso dos traficantes – Com 110 mil habitantes, mas um dos principais destinos turísticos do litoral brasileiro, Balneário Camboriú é considerada pela polícia como o paraíso dos traficantes que agem na fronteira.

Foi lá que o pontaporanense Jarvis Gimenes Pavão, atualmente recolhido no Presídio Federal de Mossoró (RN), expandiu seus negócios no mundo do crime até fugir para o Paraguai, onde foi preso, cumpriu oito anos de prisão e foi extraditado, em dezembro de 2017.

Segundo fontes policiais consultadas pela reportagem, além do alto consumo de cocaína na cidade litorânea, Balneário Camboriú fica perto do Porto de Itajaí, atualmente muito procurado pelos narcotraficantes para despachar droga para a Europa devido ao aumento da fiscalização no Porto de Santos.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions