A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

05/02/2019 09:03

Prisão de Minotauro é vitória contra o narcotráfico, comemora delegado

Policial afirma que esperança é de dias menos violentos na fronteira após a prisão de narcotraficante, ontem em Santa Catarina

Helio de Freitas, de Dourados
BMW encontrado pela PF com traficante, preso no litoral catarinense (Foto: Divulgação)BMW encontrado pela PF com traficante, preso no litoral catarinense (Foto: Divulgação)

Policiais da Linha Internacional entre Mato Grosso do Sul e o Paraguai comemoram a prisão do narcotraficante brasileiro Sérgio de Arruda Quintiliano Neto, 32 anos, o “Minotauro”. Apontado como o novo chefe do crime organizado na fronteiram, ele foi localizado em Balneário Camboriú (SC) por policiais de Mato Grosso do Sul e catarinenses.

“É uma vitória contra o narcotráfico na fronteira”, afirmou ao Campo Grande News o delegado regional adjunto da Polícia Civil em Ponta Porã Mikail Faria.

Segundo o delegado, Minotauro estava se destacando como o principal chefe do narcotráfico e iniciou uma guerra para eliminar os adversários. “A população de bem está aterrorizada com essa violência”.

“[A prisão] É uma vitória para a justiça, porque ele é acusado de ser mandante de vários crimes, como assassinatos e roubos”, reforçou o delegado. “A esperança agora é de pacificação na fronteira”.

Sérgio Quintiliano Neto foi preso na Operação Tesel, desencadeada em conjunto por agentes de MS e de SC após seis meses de investigação para localizar o bandido, procurado no Brasil e no Paraguai.

Apesar de Minotauro ser apontado pela Polícia Federal brasileira como membro do PCC (Primeiro Comando da Capital), policiais da fronteira afirmam que ele tem apoio da facção, mas se tornou independente e negociava inclusive com outros grupos criminosos.

Em nota à imprensa, a PF afirma que Minotauro é apontado como uma liderança regional da organização criminosa, dedicado dedica ao tráfico de entorpecentes originários da Bolívia e introduzidos no Brasil pela fronteira sul de Mato Grosso do Sul com o Paraguai.

“A região tem sido palco de várias ações violentas decorrentes do enfrentamento entre organizações criminosas rivais que objetivam alcançar o comando do tráfico de drogas e de armas na área. Após a assunção de Minotauro ao comando de uma dessas organizações, verificou-se a escalada dos atos violentos, especialmente na região de Ponta Porã”, diz a PF.

No dia 22 de janeiro, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) apreendeu 940 quilos de cocaína em um utilitário BMW X5, interceptado na BR-463. Policiais afirmam que a droga era de Minotauro e estava sendo retirada da fronteira devido à instabilidade criada pelas recentes operações policiais.

Sérgio Quintiliano Neto, o Minotauro, preso em condomínio de luxo (Foto: Reprodução)Sérgio Quintiliano Neto, o Minotauro, preso em condomínio de luxo (Foto: Reprodução)

Assassinatos – Minotauro é suspeito de ter sido um dos responsáveis pelo assassinato do policial civil Wescley Dias Vasconcelos, 37, ocorrido no dia 6 de março do ano passado. Ele foi morto a tiros de fuzil em frente à sua casa em Ponta Porã.

Wescley teria sido morto por descobrir a identidade falsa que Minotauro usava para se manter no anonimato em Pedro Juan Caballero.

O traficante também é apontado como mandante do assassinato da advogada paraguaia Laura Casuso, ocorrido em novembro passado em Pedro Juan Caballero. Laura era advogada de outro narcotraficante brasileiro, Jarvis Gimenes Pavão, atualmente preso em Mossoró (RN).

Outros crimes atribuídos a Minotauro são o ataque a bombas a casas e lojas da família de Zacarias Alderete Peralta em Ypejhú, na fronteira com Paranhos, em dezembro, e o assassinato do ex-vereador Francisco Gimenez, tio de Pavão, em 17 de janeiro, em Ponta Porã.

Teseu – Na operação desta segunda-feira, além da prisão de Minotauro, foram apreendidos dinheiro em espécie, telefones celulares e um veículo de luxo da marca alemã BMW.

Para a PF, a prisão de Minotauro é um importante golpe no tráfico de drogas e armas, bem como na tentativa de domínio de áreas fronteiriças por facções criminosas.

“A ação policial afirma a importância das diretrizes do Ministério da Justiça e Segurança Pública e da Polícia Federal no sentido de ampliar cada vez mais a cooperação policial internacional, a coordenação das atividades e a troca de informações entre as forças de segurança no combate ao crime organizado”, diz a PF, em nota.

Dinheiro e celulares apreendidos com Minotauro (Foto: Divulgação)Dinheiro e celulares apreendidos com Minotauro (Foto: Divulgação)
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions