ACOMPANHE-NOS    
JULHO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 21º

Interior

Com autorização judicial, maconha da “patroa do tráfico” é incinerada

Droga foi incluída nos 36 quilos destruídos ontem em indústria de Dourados

Por Helio de Freitas, de Dourados | 12/03/2021 10:06
Droga sendo incinerada em forno de indústria em Dourados (Foto: Divulgação)
Droga sendo incinerada em forno de indústria em Dourados (Foto: Divulgação)

Já foram incinerados os sete mil quilos de maconha apreendidos segunda-feira (8) em um depósito em Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande. A droga estava sendo carregada em um caminhão para ser levada para a Bahia pela quadrilha chefiada por Camila Zeballos Villa Alta, 28, a “patroa do tráfico”, presa na terça-feira quando embarcava no aeroporto de Dourados para Salvador (BA).

O esquema que enviava maconha e pasta-base de cocaína para a Bahia, São Paulo e Minas Gerais foi desmantelado pela Defron (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes de Fronteira).

A pedido do delegado Rodolfo Daltro, chefe da Defron, a Justiça em Ponta Porã autorizou na quarta-feira incineração imediata da droga por falta de local para o armazenamento.

A maconha da “patroa do tráfico” foi destruída nesta quinta-feira (11) junto com outras 29 toneladas de drogas apreendidas nos últimos dias pela Defron e pelo DOF (Departamento de Operações de Fronteira). A incineração ocorreu no forno da Farinheira São Francisco, no Distrito Industrial de Dourados.

Essa foi a segunda incineração feita neste ano em Dourados. Foram incinerados 35,8 mil quilos de maconha, 31,7 quilos de cocaína, 3,3 quilos de haxixe e 86,1 quilos de skunk.

Segundo balanço divulgado pela polícia, de janeiro até agora, DOF e Defron prenderam pelo menos 20 pessoas por tráfico e apreenderam dez veículos, dinheiro e celulares.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário