ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Com fuzil, matadores executam filho de traficante e deixam 3 feridos

Ataque ocorreu na tarde desta quinta no centro de Pedro Juan Caballero e toda ação foi registrada em vídeo

Por Helio de Freitas, de Dourados | 21/09/2023 17:28


Um homem morreu e pelo menos três pessoas ficaram feridas em atentado a tiros de fuzil na tarde desta quinta-feira (21) na área central de Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia separada por uma rua de Ponta Porã (MS). O tiroteio causou pânico e correria no centro comercial da cidade (veja imagens acima).

O morto foi identificado como Charles Gonzalez Coronel, 32, filho do narcotraficante Clemencio González Giménez, o “Gringo González”. Bandido mais procurado do Paraguai, ele foi preso no dia 22 de janeiro de 2021 em Pedro Juan Caballero, mas está em liberdade desde fevereiro deste ano.

Segundo as primeiras informações da Polícia Nacional, entre os feridos estão pessoas que circulavam pela área central e seguranças de Charles Gonzalez.

Ele estava em um Jeep Grand Cherokee branco quando foi surpreendido por quatro bandidos, cada um carregando um fuzil. Com o rosto coberto, o grupo abriu fogo na direção de Charles. Os tiros atingiram também outras pessoas e veículos. Charles morreu no local, em frente ao Colégio Paroquial Rosentil. Os nomes dos feridos ainda não foram informados.

Charles Gonzalez Coronel, executado na fronteira (Foto: Reprodução)
Charles Gonzalez Coronel, executado na fronteira (Foto: Reprodução)

Gringo Gonzalez – Procurado há vários anos, Clemencio Gonzalez vivia tranquilamente em condomínio de luxo em Pedro Juan Caballero. Mesmo encabeçando a lista dos mais procurados, era considerado “invisível” por pagar propina a policiais corruptos para não ser preso.

Quando foi preso, Gringo González era procurado por vários crimes, entre os quais o sequestro e morte de Amado Felício Martinez, em 2004. A vítima teria provocado o acidente de trânsito que matou o irmão do bandido, Félix González.

Segundo policiais da fronteira, o bandido sobreviveu a várias disputas pelo controle do crime organizado na Linha Internacional. Nesse tempo, trabalhou para o “padrinho” da fronteira Fahd Jamil, o “Fuad”, e para o narcotraficante brasileiro Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar.

A mansão de Clemencio “Gringo González” no Jardim Aurora, é conhecida por ter uma capela imitando o santuário de Virgem de Caacupé, a padroeira do Paraguai. A casa está abandonada desde 2015. Ele vivia em outro endereço, onde foi preso. Após recuperar sua liberdade no início de 2023, voltou a morar em Pedro Juan.

*Matéria alterada às 20h18 para correção de informações.

Receba as principais notícias do Estado pelo WhatsApp. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias