ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  10    CAMPO GRANDE 28º

Interior

Com lojas abertas em Pedro Juan, Paraguai amplia força militar na fronteira

Pelo menos 80 soldados chegaram nesta terça para reforçar vigilância na Linha Internacional, fechada por causa do coronavírus

Por Helio de Freitas, de Dourados | 02/06/2020 14:38
Militares descem de caminhão em Pedro Juan Caballero (Foto: Reprodução)
Militares descem de caminhão em Pedro Juan Caballero (Foto: Reprodução)

Com 1.013 casos confirmados de covid-19 e citado como exemplo na América do Sul na luta contra a doença transmitida pelo novo coronavírus, o Paraguai não baixa a guarda na vigilância da fronteira com o Brasil. Nesta terça-feira (2), mais 80 militares chegaram a Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande.

Veja o vídeo:

Os soldados vão reforçar as barreiras de contenção instaladas na Linha Internacional entre as duas cidades, onde até uma cerca de arame farpado foi levantada para coibir a circulação de pessoas de um lado a outro da fronteira.

Depois que as lojas de Pedro Juan Caballero voltaram a funcionar no dia 25 de maio, na segunda etapa da quarentena inteligente adotada pelo governo paraguaio, a circulação ilegal de pessoas aumentou entre as duas cidades.

Ontem, uma cidadã paraguaia que estava em Ponta Porã e cruzou a cerca de arame farpado e entrou em Pedro Juan Caballero foi detida pelos militares e levada para a quarentena obrigatória de 14 dias.

Ainda nesta segunda-feira (1º), o presidente do Paraguai Mario Abdo Benítez admitiu endurecer as regras de isolamento em algumas regiões, principalmente na fronteira com o Brasil, devido à proliferação dos casos de coronavírus. A maior preocupação é com o Departamento de Alto Paraná, que tem 152 casos confirmados. Amambay, cuja capital é Pedro Juan Caballero, aparece com 11 casos.