ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  23    CAMPO GRANDE 33º

Interior

Com reabastecimento, Procon retoma ação para combater abuso em postos

Desde o início da greve dos caminhoneiros, 15 postos de Dourados foram autuados por aumento abusivo na gasolina

Por Helio de Freitas, de Dourados | 29/05/2018 14:10
Fiscal do Procon durante trabalho em posto de combustíveis de Dourados (Foto: Divulgação)
Fiscal do Procon durante trabalho em posto de combustíveis de Dourados (Foto: Divulgação)

As equipes de fiscalização do Procon continuam percorrendo os postos de combustíveis de Dourados, a 233 km de Campo Grande, para tentar coibir a cobrança de preços abusivos. O trabalho ocorre desde o início da greve dos caminhoneiros que provocou desabastecimento total de combustíveis na cidade por quatro dias. O reabastecimento foi retomado ontem, mas muitos postos ainda têm falta principalmente de gasolina e etanol.

O diretor do órgão, Mário Júlio Cerveira, informou que as ações são acompanhadas pelo Ministério Público Estadual. Desde a semana passada até o momento, 15 postos de combustíveis foram autuados por indícios de aumento abusivo e injustificado de preços.

Os proprietários têm prazo de dez dias para comprovar a regularidade nos reajustes aplicados apresentando os comprovantes fiscais de entrada e saída do produto nos reservatórios.

Cerveira disse que o Procon não recebeu nenhuma reclamação oficial por parte de consumidores, apesar de ter conhecimento de denúncias feitas por telefone e através de redes sociais. Entretanto, douradenses relatam que estão encontrando gasolina até por R$ 4,62 – quase 20 centavos acima do valor que era praticado antes da greve.

Segundo Mário Cerveira, a fiscalização agora inclui também as revendas de gás de cozinha e o comércio, para coibir aumentos abusivos. Ele pediu para a população ajudar a fiscalizar exigindo comprovante fiscal e denunciando eventuais irregularidades.

Amanhã às 10h, o Procon se reúne com diretores do Sinpetro (o Sindicato dos distribuidores e revendedores de combustíveis) em Dourados para acabar com possíveis preços abusivos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário