A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Agosto de 2019

06/04/2019 11:24

Com uso de helicóptero, PMA faz operação e prende 7 por pesca ilegal

Operação foi desencadeada após denúncia de pesca predatória nos rios em Porto Murtinho; helicóptero da Sejusp está sendo usado na fiscalização

Silvia Frias
Fiscalização da PMA na região de fronteira mobilizou equipe aérea (Foto/Divulgação:PMA)Fiscalização da PMA na região de fronteira mobilizou equipe aérea (Foto/Divulgação:PMA)

Sete pessoas foram multadas por pesca predatória, em operação especial da PMA (Polícia Militar Ambiental) no Estado, com foco na região de fronteira. O trabalho está sendo feito com apoio de helicóptero cedido pela Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública).

A Operação Fronteira começou no dia 2 de abril, com 270 policiais, 15 lanchas e barcos, além do helicóptero e vai até o meio-dia de segunda-feira (8).

Segundo assessoria da PMA, a ação especial começou depois que receberam fotos que estavam circulando as redes sociais com flagrantes de pesca predatória. Pescadores estavam aproveitando pontos de decoada nos rios Apa e Paraguai para fazer “arrastão”, levando quantidade acima da cota permitida de 5 quilos mais um exemplar.

Peixes apreendidos durante a operaçao (Foto/Divulgação:PMA)Peixes apreendidos durante a operaçao (Foto/Divulgação:PMA)

Mesmo encontrando pequenos pontos de decoada, a ação foi organizada em decorrência da proximidade da Semana Santa e que aumenta a ocorrência de pesca ilegal nos dias que antecedem o feriado.

No total, sete infratores já foram presos e autuados por pesca predatória, além de um autuado por desmatamento e por extração ilegal de minério.

Duas das prisões ocorreram no Rio Aquidauana ontem (5). Os infratores haviam capturado 53 quilos de pescado. Os pescadores, um residente em Assis Chateaubriand (PR) e outro residente em Caarapó, receberam voz de prisão e foram encaminhados, juntamente com material apreendido, à Polícia Civil de Aquidauana, onde eles foram autuados em flagrante por crime ambiental de pesca predatória e saíram depois de pagar fiança.

A pena para o crime é de um a três anos de detenção. Também foi lavrado um auto de infração administrativo e aplicada multa de R$ 1.230,00 contra cada autuado. O pescado será doado para instituições filantrópicas depois de periciado.

Helicóptero cedido pela Sejusp usado na fiscalização, que irá durar até segunda-feira (Foto/Divulgação: PMA)Helicóptero cedido pela Sejusp usado na fiscalização, que irá durar até segunda-feira (Foto/Divulgação: PMA)
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions