ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, DOMINGO  16    CAMPO GRANDE 28º

Interior

Corumbá comemora aniversário de 243 anos nesta terça-feira

Histórica, a "Cidade Branca" é famosa por suas festas e eventos rodeados de cultura e significados

Por Idaicy Solano e Mariely Barros | 21/09/2021 06:28
Prédios históricos localizados no Porto Geral Corumbá. (Foto: Divulgação)
Prédios históricos localizados no Porto Geral Corumbá. (Foto: Divulgação)

Distante 424 quilômetros de Campo Grande, Corumbá comemora seus 243 anos de fundação. Com população estimada em 112.669 pessoas, a cidade ocupa a posição de quarto maior município do estado de Mato Grosso do Sul.

Conhecida como “Cidade Branca” por causa da coloração do solo rico em calcário, o nome da cidade tem origem tupi-guarani, Curupah, que significa “lugar distante”. Segundo registros do IBGE (Instituto Brasileito de Geografia e Estatística), a região passou a ser ocupada e explorada a partir do século XVI (dezesseis), na expectativa dos imigrantes portugueses de encontrarem ouro.

Palco de grandes realizações históricas, até a década de 30, Corumbá era considerada o terceiro maior porto da América Latina. O município também foi o centro de uma das principais batalhas da Guerra do Paraguai, quando a Freguesia de Santa Cruz foi ocupada pelas tropas de Solano Lopez, em 1865. Os conflitos destruíram a cidade, que passou a ser reconstruída em 1870, pelo tenente-coronel Antônio Maria Coelho.

Registro histórico do Porto Geral de Corumbá. (Foto: Divulgação)
Registro histórico do Porto Geral de Corumbá. (Foto: Divulgação)

Corumbá tem cerca de 60% de seu território ocupado pelo Pantanal, o que rendeu à cidade, o título de “Capital do Pantanal”. Dona de uma diversidade ecológica farta, a cidade possui diversos atrativos para os turistas, como o Museu de História do Pantanal, fundado em 1876, onde se pode conhecer a história das pessoas que habitavam a região pantaneira há oito mil anos até a chegada dos colonizadores portugueses.

A Praça da Independência chama a atenção com sua estrutura de mármore e portões de ferro importados da Alemanha. Dentro da praça, há três lagos rasos e uma diversidade de árvores centenárias e espécies de aves, peixes, tartarugas e jabutis para conhecer.

O Forte Junqueira, fundado após a Guerra do Paraguai, é um dos principais pontos turísticos da cidade. Do local, é possível observar o Rio Paraguai e a paisagem pantaneira. A atração recebeu esse nome em homenagem ao ministro de guerra José de Oliveira Junqueira e pode ser visitada por turistas mediante autorização da organização local.

Para além dos locais de visitação, Corumbá também é palco de festas  e eventos conhecidos nacionalmente. O Banho de São João, o Festival América do Sul e o Carnaval de Corumbá reúnem anualmente milhares de pessoas na cidade.

Uma das atrações mais esperadas e apreciadas do ano, o tradicional Banho de São João, conhecido também como festa joanina no Pantanal, congrega rituais de culto a São João Batista e ao orixá Xangô. A festividade reúne uma série de rituais, como procissões, cortejos, novenas e giras em terreiros de candomblé e umbanda, reunindo a população em atos de fé.

Nas margens do Rio Paraguai, que separa Corumbá da Bolívia, os fiéis se reúnem na passagem do dia 23 para 24 de junho para banhar dezenas de imagens conduzidas pelas famílias do Casario do Porto, que fica no centro da cidade até o Paraguai.

Maior festa multicultural da América do Sul, o Festival América do Sul Pantanal reuniu mais de 50 mil pessoas na sua 15° edição, a última realizada em 2019, por conta da pandemia. O evento reúne mais de 50 atrações nos mais variados segmentos de cultura, como música, artesanato, teatro, dança, circo, literatura e cinema. São realizadas oficinas, exibição de filmes, shows, apresentações e comercialização de obras durante quatros dias do mês de novembro.

Considerado o maior carnaval do estado, a folia no município atraiu 9.750 turistas em 2019 e um desfile com mais de 10 escolas de samba. Além do tradicional desfile das escolas de samba, os foliões podem curtir os blocos oficiais e independentes e os shows musicais.

Desfile das escolas de Samba no centro de Corumbá. (Foto: Clóvis Neto)
Desfile das escolas de Samba no centro de Corumbá. (Foto: Clóvis Neto)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário