ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 18º

Interior

Dourados abre mais 8 leitos de UTI neonatal em duas semanas, diz prefeito

Neonatologia do HU está superlotada desde março; novos leitos serão abertos em hospital particular

Por Helio de Freitas, de Dourados | 17/05/2022 16:08
Alan Guedes (2º à esquerda), Frederico Weissinger e Flávio Britto (Foto: Divulgação)
Alan Guedes (2º à esquerda), Frederico Weissinger e Flávio Britto (Foto: Divulgação)

Mais oito leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neonatal serão ativados em Dourados (a 233 km de Campo Grande) para diminuir a carência de vagas que se arrasta desde março. O anúncio foi feito nesta terça-feira (17) pelo prefeito Alan Guedes (PP) após reunião com o secretário estadual de Saúde Flávio Britto.

Segundo o prefeito, os leitos vão funcionar no Hospital Evangélico, instituição particular contratada pelo município para prestar serviço de alta complexidade através do SUS (Sistema Único de Saúde). A ativação deve ocorrer dentro de duas semanas. O prazo foi solicitado pelo hospital para adequar o espaço e preparar a equipe responsável pelo atendimento.

Na semana passada, o MPF (Ministério Público Federal) ingressou com ação na Justiça Federal em Dourados pedindo bloqueio de R$ 1,5 milhão dos cofres da União, do Estado e da prefeitura para garantir implantação dos oito leitos de UTI neonatal destinados a atender pacientes da macrorregião formada por 33 municípios.

Durante reunião de hoje com Flávio Britto e com o diretor de regulação de Dourados Frederico Weissinger, Alan Guedes anunciou o acordo para abertura dos novos leitos e disse que o custo será rateado entre município, Estado e União.

Dourados conta com dez leitos de UTI neonatal no HU (Hospital Universitário) da UFGD, mas o espaço está superlotado desde março. O Hospital teve de desativar cinco leitos de UTI adulto para atender crianças.

Flávio Britto reconheceu a necessidade de ampliar o número de leitos de UTI neotanal em Dourados. “Não é uma ordem judicial que vai fazer aparecer toda a infraestrutura para montagem desses leitos. Para isso, estamos montando parceria [município, Estado e União], todos dispostos a solucionar um problema que ainda é resquício da pandemia”.

Segundo a prefeitura, a parceria com o Hospital Evangélico é necessária porque não há mais como expandir o serviço no HU. “Hoje temos um paciente neonatal aguardando leito, já que conseguimos fazer remanejamento de leitos dentro do HU nos últimos dias. Entretanto, segundo o último boletim, temos 14 crianças e outras três excedendo. Ou seja, são 17 crianças no total”, explicou Frederico Weissinger.

Conforme a assessoria do HU, 12 bebês estão na estrutura original da UTI Neonatal e outros 5 nas instalações da UTI Adulto adaptada para receber as crianças.

Nos siga no Google Notícias