ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, QUARTA  25    CAMPO GRANDE 24º

Interior

Dupla confessa assassinato de policial, provocado por ciúmes de adolescente

Osmar de Oliveira e o adolescente de 17 anos, localizados de madrugada, estão sendo levados para Ponta Porã

Por Helio de Freitas, de Dourados | 07/02/2020 09:29
Os dois jovens que mataram policial civil por ciúmes, ontem à noite, em Sete Quedas (Foto: Direto das Ruas)
Os dois jovens que mataram policial civil por ciúmes, ontem à noite, em Sete Quedas (Foto: Direto das Ruas)

Osmar Santos Espíndola de Oliveira, 19, e o adolescente de 17 anos, confessaram a emboscada contra o policial civil Arthur Kemishian, 30, na noite de ontem (6) em Sete Quedas, cidade a 471 km de Campo Grande, na fronteira com o Paraguai. Ferido com quatro tiros dentro do carro, Arthur chegou a ser socorrido, mas morreu na estrada, quando era transferido para o hospital de Dourados.

O Campo Grande News apurou que os dois foram localizados por volta de 4h da madrugada de hoje escondidos em uma propriedade rural na Linha Internacional. O trabalho para prender os dois envolveu equipes da Defron (Delegacia Especializada de Crimes de Fronteira) e do DOF (Departamento de Operações de Fronteira).

A Polícia Nacional do Paraguai deu apoio aos colegas brasileiros. Sete Quedas é separada da cidade-gêmea paraguaia de Pindoty Porã apenas por uma rua, assim como é em Ponta Porã e Coronel Sapucaia. A região tem forte atuação do narcotráfico e contrabando de cigarros.

A reportagem apurou que os tiros foram disparados por Osmar. Apesar de a família do adolescente ser suspeita de ligação com o tráfico de drogas, policiais à frente das investigações afirmam que é 100% certeza que o crime foi passional. O adolescente estava com ciúmes porque Arthur conversava com a ex-namorada dele. Atraído ao local onde foi baleado, o policial teve tempo de falar que os autores eram Osmar e o adolescente. Ele conhecia os criminosos.

Câmeras de segurança instaladas em lojas do centro gravaram o carro usado pelos dois, um Gol branco. Os presos estão sendo levados para a Polícia Civil em Ponta Porã. Casado e pais de duas filhas, Arthur Kemishian era policial civil desde 2015.

Matéria alterada às 9h59 para correção de informações.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário