A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019

24/01/2019 12:13

Ex-secretário preso por corrupção é levado para o centro de triagem

João Fava Neto teve a prisão preventiva decretada novamente na semana passada e foi localizado terça na Capital

Helio de Freitas, de Dourados
Ex-homem de confiança de Délia Razuk, João Fava Neto está preso em Campo Grande (Foto: Arquivo)Ex-homem de confiança de Délia Razuk, João Fava Neto está preso em Campo Grande (Foto: Arquivo)

O ex-secretário de Fazenda de Dourados João Fava Neto, acusado de comandar a organização criminosa responsável pelo desvio de R$ 23 milhões do cofre público, foi levado ontem (23) para o Centro de Triagem Anízio Lima, em Campo Grande.

Fava Neto estava foragido da justiça desde a semana passada. Preso terça à noite na Capital, foi levado para a 3ª Delegacia de Polícia, no Carandá Bosque.

O Campo Grande News apurou que ele deve permanecer recolhido no centro de triagem, presídio de segurança média localizado na BR-262, no Jardim Noroeste.

No mesmo presídio estão o empresário João Alberto Krampe Amorim e o ex-deputado federal Edson Giroto, réus na Operação Lama Asfáltica. João Alberto Krampe Amorim

Homem de confiança – Um dos 15 denunciados na Operação Pregão, desencadeada no dia 31 de outubro de 2018, Fava Neto era até então o braço direito da prefeita Délia Razuk (PR).

Segundo o MP, Fava Neto aproveitou a autonomia que recebeu para instalar uma organização criminosa no setor de licitações da prefeitura voltado a cobrar propina de empresas terceirizadas, contratadas por meio de fraude em licitações.

Ele foi preso junto com o então diretor de licitação da prefeitura Anilton Garcia de Souza, com o empresário Messias José da Silva e com a vereadora Denize Portolann (PR). Os três estão presos há quase três meses.

Depois de alguns dias preso na PED (Penitenciária Estadual de Dourados), Fava Neto foi levado em novembro para o Presídio Militar em Campo Grande.

Na véspera do Natal, saiu da prisão graças a uma liminar do presidente do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) Divoncir Schreiner Maran.

Na semana passada, o desembargador Luiz Gonzaga Mendes Marques, relator do pedido de habeas corpus, revogou a liminar de Maran por não vislumbrar fatos novos que justificassem a liberdade e determinou que o ex-secretário voltasse para a prisão.

Na quinta-feira (17), o juiz substituto da 1ª Vara Criminal de Dourados Alessandro Leite Pereira decretou novamente sua prisão preventiva com base na decisão de Mendes Marques.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions