ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, DOMINGO  24    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Fissura em pavimento atrasa obra e aeroporto só reabre no final de 2022

Havia previsão de reabertura parcial ainda neste ano, mas vistoria da obra adiou planos por um ano

Por Helio de Freitas, de Dourados | 23/09/2021 14:57
Militares do Exército na obra de reforma da pista do aeroporto de Dourados. (Foto: Divulgação)
Militares do Exército na obra de reforma da pista do aeroporto de Dourados. (Foto: Divulgação)

O Aeroporto Municipal Francisco Pereira, em Dourados (a 233 km de Campo Grande), não vai mais ser reaberto parcialmente em novembro deste ano, como estava previsto. Iniciadas em maio deste ano, as obras tocadas pelo Exército brasileiro vão atrasar e o aeroporto só deve ser reaberto daqui a 14 meses, em novembro de 2022.

No final de abril, quando o aeroporto foi fechado, havia previsão de abertura parcial de novembro de 2021 a março de 2022, quando seria fechado de novo para conclusão das obras. Hoje, no entanto, em nota enviada pela assessoria de imprensa da prefeitura, o Exército deu explicação técnica para justificar o atraso.

O adiamento por um ano da reabertura parcial, foi decidido após “visita de orientação técnica” no canteiro de obras, para avaliar o andamento dos serviços e verificar as possíveis condições de reabertura do local.

Responsável pela obra, o capitão Fernando Duncan Loureiro Pinheiro, chefe da seção técnica do 9º Batalhão de Engenharia e Construção, informou que foram encontradas “patologias” na pavimentação e, por isso, será necessário “reforço com camada de Stone Matrix Asphalt (SMA) ou reforço com manta antirreflexão de trincas”.

Ainda segundo o oficial, entre os problemas, estão fissuras, desplacamentos e desagregação do asfalto anterior. “Será necessário fazer escavação para depois tratar o material e recolocar dentro do grau de compactação exigido tecnicamente, para segurança da pista”, informa a nota da prefeitura.

Além de reforma da pista para permitir aeronaves maiores, a obra inclui construção de terminal de embarque maior, nova sala de Estação Prestadora de Serviço de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo e nova seção contra incêndio. Antes de ser fechado, o aeroporto tinha média de cinco mil embarques e desembarques por mês.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário