A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018

29/09/2011 11:04

Funai pedirá à Justiça enterro de índio em fazenda ocupada por guaranis

Marta Ferreira

Ele morreu ontem e corpo ainda está em funerária. Polícia investiga se morte tem relação com a disputa por terra

O corpo do índio guarani-caiuá Teodoro Recalde, 33 anos, que morreu na madrugada de ontem, em Paranhos, ainda está na funerária da cidade, aguardando sepultamento. A demora ocorre porque a comunidade onde ele vive, em um acampamento na fazenda São Luís, quer que o enterro seja feito na área, reivindicada como a terra indígena Y´poi.

A Funai (Fundação Nacional do Índio) deve fazer à Justiça o pedido para que o sepultamento seja feito no local, seguindo as tradições dos índios. Recalde foi espancado, segundo a comunidade, e a Polícia Federal está investigando se o crime tem relação com a disputa pela terra.

Uma equipe da corporação foi ontem à região e ainda está colhendo informações, segundo informações repassadas hoje ao Campo Grande News.

A Polícia Civil também está na investigação e, conforme as informações obtidas na delegacia, deve começar a ouvir os depoimentos sobre a morte do índio até o fim desta semana.

O corpo foi encontrado em uma propriedade chamada Cabeça de Boi, que é caminho para o acampamento na fazenda São Luis. No local, vivem cerca de 70 famílias, que só estão ali depois que a Justiça Federal autorizou a presença delas.

Histórico-A comunidade é a mesma em que dois professores desapareceram em outubro do ano passado até hoje só um deles foi encontrado, morto. A área está em estudos para identificação e demarcação como terra indígena.

A Polícia Federal foi acionada pelo MPF (Ministério Público Federal) para investigar se a morte de Recalde tem relação com a questão fundiária. Um inquérito vai ser aberto, de acordo com a informação da Corporação.

Se as investigações dentificarem que o crime tem relação coma disputa de terra, o inquérito fica com a Polícia Federal. Se essa possibilidade for descartada, será mantido apenas o inquérito da Polícia Civil, para apurar os responsáveis pelo homicídio.

Integrantes da comunidade acionaram o Cimi (Conselho Indigenista Missionário) e relataram que o índion foi atacado por homens quando voltava para o acampamento. O corpo tinha sinais de ferimentos a pauladas e de faca.

Morador do acampamento, o índio Rodolfo Vera, afirmou que o sepultamento deve ser feito no acampamento pois é ali que o índio tem parentes e é a terra ancenstral dele.

A reportagem tentou contato com os donos da fazenda, mas os telefones obtidos só tocaram.

PF vai investigar se morte de índio está relacionada à disputa por terra
Jovem morado de acampamento guarani-caiuá morreu esta madrugada. Comunidade diz que foi espancadoA Polícia Federal foi acionada pelo MPF (Ministério...
Índio morre em Paranhos e comunidade fala em espancamento
Polícia Civil está no acampamento onde ele morreu, em fazenda que está em estudos para ser demarcada como terra indígenaO índio guarani-caiuá Teodor...
Mulher é presa após esfaquear marido no tórax durante discussão
Uma mulher de 33 anos foi presa pela Policia Militar após esfaquear seu marido, de 39, esta tarde (16) em Nova Andradina, cidade a 300 quilômetros de...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions