ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 18º

Interior

Gado é encontrado agonizando sem água e alimento após denúncias

Dono da propriedade, idoso de 72 anos mora no interior de São Paulo e foi multado em R$ 3 mil

Por Ana Oshiro | 27/05/2022 09:39
Gado foi encontrado agonizando sem água e sem comida. (Foto: Divulgação)
Gado foi encontrado agonizando sem água e sem comida. (Foto: Divulgação)

Idoso de 72 anos, dono de uma fazenda em Ribas do Rio Pardo, distante 98 km da Capital, foi autuado e multado em R$ 3 mil depois de deixar parte do gado passar sede e fome. A equipe da PMA (Polícia Militar Ambiental) chegou até a propriedade após denúncias anônimas nesta quinta-feira (26).

Morando no interior de São Paulo, o dono não foi encontrado, mas um funcionário dele falou com a polícia e contou que a fazenda havia sido arrendada para o plantio de eucalipto e, realmente, parte da pastagem estava degradada, mas ele havia manejado as 200 cabeças de gado existentes na propriedade para outra região em que a pastagem estava melhor e que havia água.

O funcionário também contou que estava providenciando a mudança dos animais para outra fazenda, em razão do arrendamento daquela. Durante vistoria no local, os policiais viram que o gado estava um pouco magro, mas havia alimentação e água no local, não caracterizando a situação de maus-tratos.

Como eles haviam recebido a denúncia anônima, continuaram vistoriando a fazenda e encontraram uma parte onde a pastagem estava totalmente degradada. No espaço, havia um animal extremamente debilitado, com os ossos aparentes devido à desnutrição.

O funcionário afirmou que o animal ficou ali por uma falha dele no momento de contar os animais na transferência do gado. Ele foi notificado para providenciar um médico-veterinário e fazer o tratamento de saúde e remoção do animal.

Considerada situação de maus-tratos, o proprietário da fazenda foi autuado administrativamente e multado em R$ 3.000,00 por maus-tratos. Ele e o funcionário também poderão responder por crime ambiental de maus-tratos, com pena de três meses a um ano de detenção.

Nos siga no Google Notícias