ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEGUNDA  17    CAMPO GRANDE 21º

Interior

Empresa de vinho ganhou licitação para organizar concurso público em MS

Operação Sommelier apreendeu R$ 180 mil durante buscas em Douradina, Dourados, Itaporã e Florianópolis

Por Helio de Freitas, de Dourados | 11/06/2024 10:02
Agentes contam dinheiro apreendido durante operação nesta terça-feira (Foto: Divulgação)
Agentes contam dinheiro apreendido durante operação nesta terça-feira (Foto: Divulgação)

Operação deflagrada nesta terça-feira (11) pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul investiga suspeita de corrupção na Prefeitura de Douradina, cidade a 192 km de Campo Grande. Empresa de vinho com sede em Campo Grande ganhou a licitação, com suspeita de fraude, segundo o MP.

Com nome de “Sommelier”, a ação comandada pelo Gecoc (Grupo Especial de Combate à Corrupção) e Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) apura suspeita de uso de empresa de fachada, contratada para fazer concurso público da prefeitura.

Onze mandados de busca e apreensão foram cumpridos hoje em Douradina, Dourados, Itaporã e Florianópolis. Em Douradina, as equipes estiveram na sede da prefeitura. A casa do procurador-geral de Douradina Thiago de Lima Holanda também foi alvo de buscas. Ele mora em Itaporã, cidade vizinha de Douradina.

Segundo o MP, investigação conduzida pela 1ª Promotoria de Justiça da comarca de Itaporã, com apoio do Gecoc, identificou “fraude ao caráter competitivo de licitação pública” na contratação da empresa que organizou o concurso público.

“Foi apurada a existência de associação criminosa entre servidores públicos e o empresário, que previamente conluiados, organizaram-se para fraudar a licitação e desviar dinheiro público mediante superfaturamento”, afirma o MP, em nota. Durante as buscas, foram apreendidos R$ 180 mil. O Ministério Público não informou onde o dinheiro foi encontrado.

A operação contou com apoio da Polícia Militar e do Gaeco de Santa Catarina. “Sommelier” está relacionado ao fato de a empresa contratada para fazer o concurso público ser de “fachada”, pois a sede era a loja de vinhos na capital sul-mato-grossense.

O prefeito de Douradina, Jean Sergio Clavisso Fogaça (PSDB), ainda não se manifestou sobre a operação.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias