A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 15 de Outubro de 2019

30/10/2018 10:45

Greve dos trabalhadores dos Correios suspende entrega de correspondência

Categoria decidiu pela paralisação por tempo indeterminado em assembleia na noite desta segunda-feira

Anahi Zurutuza
Trabalhadores de braços cruzados em protesto em frente à unidade de distribuição das correspondências (Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)Trabalhadores de braços cruzados em protesto em frente à unidade de distribuição das correspondências (Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)

Trabalhadores dos Correios de Corumbá paralisaram as atividades nesta terça-feira (30), suspendendo a entrega de correspondências na cidade. A categoria protesta contra as condições de trabalho e decidiu pela greve por tempo indeterminado em assembleia na noite desta segunda-feira (29).

Segundo a assessoria de imprensa do Sintect-MS (Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Mato Grosso do Sul), as reclamações foram feitas à superintendência da estadual por meio de ofícios, enviados nos dias 2, 19 e 22 deste mês, mas que a empresa não tomou providências e nem sinalizou que fará melhorias.

Ainda conforme o sindicato, faltam veículos para as entregas e os problemas começaram quando foi implantado na cidade o chamado DDA (Distribuição Domiciliar Alternado), que gerou acúmulo de correspondências e por consequências atrasos.

Os funcionários explica que com o novo sistema, houve aumento significativo no número de correspondências registradas para entrega em cada ponto de distribuição, passando de 50 para 120, até 150 correspondências por dia.

A presidente do Sintect, Elaine Regina Oliveira afirmou que “é inconcebível que os trabalhadores sejam obrigados a atuarem com revezamento, paralisando a entrega por falta de condições mínimas e obrigatórias que a empresa deve conceder para uma unidade que entrega correspondência e objetos numa cidade com quase 110 mil habitantes”.

Elaine revela que nesta segunda-feira (29), havia de 30 a 40 mil cartas parados na unidade de distribuição porque os carteiros não estavam dando conta de fazer todas as entregas. Na cidade, o efetivo é de pouco mais de 20 funcionários na área operacional e hoje, só 2 deles estão nos postos de trabalho.

A sindicalista disse também que os trabalhadores tem ciência de que a paralisação prejudica a população corumbaense, mas defende que “esta foi a última forma de chamar a atenção para uma situação que não tem mais como ser ignorada pela administração regional dos Correios”.

A reportagem pediu posicionamento da empresa, mas até o fechamento da matéria os Correios não haviam retornado.

Correios fecham 41 agências a partir de hoje; duas delas estão em MS
A partir de hoje (16), os Correios vão fechar e encerrar as atividades em 41 agências de 15 estados do país. Uma delas fica na Rua 14 de Julho em Cam...
Correios relançam programa de renegociação para devedores
Os Correios relançaram o programa de renegociação de dívidas contraídas com a empresa, para pessoas físicas ou jurídicas. Podem aderir ao Programa de...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions