ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  18    CAMPO GRANDE 19º

Interior

Grupo que aterrorizou cidade é formado por ladrões de banco e até PM

Por Graziela Rezende | 09/12/2013 09:46

A Polícia prendeu nove suspeitos de envolvimento na tentativa de roubo a uma agência bancária e de roubar o arsenal bélico do pelotão da Polícia Militar em Antônio João, a 279 quilômetros da Capital. Entre os presos, está um cabo da PM lotado no município e bandidos com extensa ficha criminal por assalto a bancos.

“Dos nove presos, dois paraguaios foram capturados pela Polícia local, um está na Polícia Federal, o policial militar já foi levado para o presídio da instituição e os outros cinco estão na sede do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros)”, afirma o delegado Alberto Vieira Rossi, responsável pelas investigações.

Com as prisões, o delegado ressalta que a Polícia entra em uma 2ª fase, para encontrar o arsenal roubado no pelotão, além de munições e colete a prova de balas. Ao todo, 40 policiais participam das investigações, sendo integrantes do Garras, Dof (Departamento de Operações da Fronteira), Polícia Militar e a Federal.

Crime – Após a tentativa frustada de roubar uma agência bancária, os bandidos encapuzados roubaram munições, armas e coletes a prova de balas de policiais, que ficaram reféns e foram agredidos. A ação dos assaltantes durou aproximadamente 20 minutos.

Segundo caso – Em dezembro do ano passado, bandidos que explodiram o cofre de uma agência do Banco do Brasil em Aral Moreira invadiram o pelotão da Polícia da Militar da cidade e fizeram de refém o policial que estava de plantão.

O batalhão fica distante cerca de 600 metros da agência bancária. Os bandidos fugiram do local levando o PM e uma viatura. Eles seguiram sentido Paraguai.

O policial e a viatura foram abandonados ainda no território brasileiro, enquanto que os assaltantes adentraram para o lado paraguaio da fronteira.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário