ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUINTA  09    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Identificados 10 presos em operação sobre morte de jornalista na fronteira

São três brasileiros, seis paraguaios e um boliviano, presos na madrugada de hoje em Pedro Juan Caballero

Por Helio de Freitas, de Dourados | 22/02/2020 08:02
Jeep Renegade apreendido hoje em Pedro Juan Caballero; MP suspeita que carro foi usado na execução de jornalista (Foto: Raul Ortiz)
Jeep Renegade apreendido hoje em Pedro Juan Caballero; MP suspeita que carro foi usado na execução de jornalista (Foto: Raul Ortiz)

Foram encerradas por volta de 7h (de MS) as buscas comandadas por dez promotores de Justiça e grupos de elite da polícia paraguaia em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande.

De acordo com o promotor Marcelo Pecci, que coordena os trabalhos, dez suspeitos de envolvimento em execuções na fronteira foram presos na Operação Alba. Entre os crimes investigados está a execução do jornalista brasiguaio Lourenço Veras, o Leo, 52 anos, ocorrida na noite de 12 deste mês.

Nove homens e uma mulher foram presos, sendo seis paraguaios, três brasileiros e um boliviano. Os brasileiros foram identificados como Luis Fernando Leite Nunes, 8- Sanção de Souza e Leonardo de Souza Conceição, que não portava documento.

Os paraguaios presos são Arnaldo Colmán, 32, com prisão decretada por furto e por não pagar pensão alimentícia, Anderson Rios Vilhalva, 31, Paulo Sespedes Oliveira, 40, Oscar Duarte, 30, Marcos Aurelio Vernequez Santacruz, 31, e Cintya Raquel Pereira De Leite. O décimo preso é o boliviano Juan Vicente Jaime Camaro.

Foram apreendidos dois revólveres, quatro pistolas 9 milímetros de fabricação austríaca, uma réplica de pistola, uma escopeta, seis carregadores e cinco veículos, entre os quais um Jeep Renegade branco.

O promotor Marcelo Pecci confirmou que o Renegade é semelhante ao carro usado pelos pistoleiros que mataram Leo Veras. Todos serão periciados. Também foram apreendidas munições de vários calibres, celulares, documentos, baixa quantia em dinheiro e câmeras de foto.

Os mandados de busca expedidos pelo juiz penal de Garantias de Assunção Humberto Otazu foram cumpridos por equipes do Departamento contra o Crime Organizado, Departamento de Investigações de Amambay e Departamento de Homicídios.